Facebook Twitter Youtube Flickr
Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 27 de junho de 2017.

Vídeos

 
 
18/03/2017
Notícias
PREFEITURA DE MONTE ALEGRE DO SUL FAZ ESCLARECIMENTOS


Diante do elevado número de informações distorcidas, a Prefeitura de Monte Alegre do Sul informa que, em primeiro lugar, os macacos NÃO TRANSMITEM A FEBRE AMARELA. Eles são os indicadores para o controle da doença, que é silvestre. Não existe registro de febre amarela em humanos na nossa região. A Prefeitura pede à população cautela e responsabilidade com as informações divulgadas de forma inverídica, falando sobre macacos transmitirem a febre amarela.

Está prevista, para próxima terça-feira, uma ação em parceria com a Sucen e a GVE – Grupo de Vigilância Epidemiológica, com objetivo de intensificar as notificações e a vigilância de macacos mortos. O objetivo é investigar as causas da morte (se são naturais, causadas pelo homem ou pelo vírus amarílico).

Os transmissores da febre amarela são o mosquito Haemagogus e o Aedes Aegypti. Nossa Vigilância Epidemiológica está organizada e preparada.

A missão é de todos. Não apenas de Monte Alegre do Sul, como também de cidades vizinhas. Você deve ajudar controlando a proliferação do mosquito. Portanto, elimine imediatamente qualquer foco que concentre água parada.

O grupo de Vigilância Epidemiológica da Regional de Campinas orientou:

- Até a imunização, evitar circulação em mata fechada, cachoeiras e trilhas;
- Atente-se à divulgação do cronograma para campanha de vacinação, que deve ser iniciada nesta próxima semana, conforme tabela de prioridade do Ministério da Saúde;
- Caso resida próximo a áreas de mata fechada, atente-se ao uso de repelentes;
- Reforçamos que maltratar e matar macacos é um crime ambiental, levando o infrator à prisão. Eles são indicadores fundamentais de locais em que pode haver focos da febre amarela silvestre. Portanto, nos ajudam na prevenção e combate à doença;
- Este controle está sendo feito em várias regiões do país, então, a atenção não é apenas aqui;
- Lembramos que o mosquito Aedes aegypti não transmite apenas a febre amarela, ele é vetor da dengue, da chikungunya e da zika, doenças que matam e podem deixar sequelas graves.

NÃO TEMOS NENHUM CASO DE FEBRE AMARELA EM HUMANOS NA NOSSA REGIÃO. FAÇA SUA PARTE E VAMOS TODOS NESSA LUTA CONTRA O MOSQUITO!

 

Perguntas e Respostas

Qual é a diferença entre a febre amarela silvestre (FAS) e febre amarela urbana (FAU)?

A diferença entre elas é o vetor: na cidade a doença é transmitida pelo Aedes aegypti, o mesmo mosquito que transmite a dengue. Na mata, os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus. Apesar disso, o vírus transmitido é o mesmo, assim como a doença resultante da infecção. Desde 1942, o Brasil não registra casos de febre amarela urbana.

O que é a febre amarela silvestre (FAS)?

É uma doença infecciosa febril aguda, causada por um arbovírus (vírus transmitido por artrópodes), que pode levar à morte em cerca de uma semana, se não for tratada rapidamente. A doença é comum em macacos, que são os principais hospedeiros do vírus.

Como a doença é transmitida?

A febre amarela silvestre é transmitida através da picada de mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem em matas e vegetações à beira dos rios. Quando o mosquito pica um macaco doente, torna-se capaz de transmitir o vírus a outros macacos e ao homem.

Como a doença pode ser evitada?

A única forma de evitar FAS é através da vacinação. A vacina está disponível durante todo o ano nas unidades de cuidados de saúde de forma gratuita e deve ser administrada pelo menos 10 dias antes do deslocamento para áreas de risco. A vacina pode ser administrada após seis meses de idade e é válida por dez anos.

Que lugares constituem áreas de risco?

Locais que têm matas e rios onde o vírus e seus hospedeiros e vetores ocorrem naturalmente são identificadas como áreas de risco. No Brasil, no entanto, a vacinação é recomendada para as pessoas a partir de 9 meses de idade (ver “Orientações para vacinação”) que residem ou se deslocam para os municípios que compõem a Área Com Recomendação de Vacina, conforme o mapa abaixo.

Que época do ano a doença é mais comumente registrada?

Estudos têm demonstrado que a doença ocorre com maior freqüência nos meses de dezembro a maio. Esta é a estação das chuvas, quando há um aumento das populações de mosquitos, favorecendo a circulação do vírus.

Qualquer pessoa está em risco de contrair febre amarela silvestre?

Sim. Qualquer pessoa, independentemente da idade ou sexo, que vive nas áreas endêmicas ou que visitam áreas endêmicas sem ter sido vacinada, pode ter a doença.

Quanto tempo leva para que a doença se tornar aparente?

De três a seis dias após ter sido infectada, a pessoa apresenta os sintomas iniciais.

Quais os sintomas da doença?

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

O que você deve fazer se apresentar os sintomas?

Depois de identificar alguns desses sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informe sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas, e se você observou mortandade de macacos próximo aos lugares que você visitou. Informe, ainda, se você tomou a vacina contra a febre amarela, e a data.

Como a febre amarela silvestre é tratada?

Não há nenhum tratamento específico contra a doença. O médico deve tratar os sintomas, como dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. O médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico.
Importante: Somente um médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença.

A febre amarela silvestre é contagiosa?

A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa, entre de animais a pessoas. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela.
Onde posso obter mais informações sobre a febre amarela?
Mais informações sobre a doença podem ser obtidas nas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde de todo o país, e no Ministério da Saúde.

Qual é o papel do Ministério da Saúde e da Secretaria de Vigilância em Saúde no controle da febre amarela?

O Ministério da Saúde, através da Secretaria de Vigilância em Saúde, elabora normas e coordena as ações de vigilância e controle da doença. Também auxilia os estados e municípios na implementação e manutenção dessas ações, supervisiona as atividades e fornece a vacina contra a febre amarela.



Atalhos da página

  • Feliz Aniversário


  • Eventos do mês


     
  • Galeria de Fotos

     

Parceiros

R. BANDEIRA PAULISTA, 716 - 8º ANDAR
ITAIM BIBI - SÃO PAULO, SP - CEP: 04532-002
TEL: (11) 3709-1654 -
SEG À SEX DAS 9H ÀS 18H
Rede Corporativa e-Solution Backsite