Distrito turístico ecológico dá posse ao conselho gestor

Registro oficial da posse do Conselho Gestor do Distrito Turístico Portal da Mata Atlântica. Foto: Alan Morici

Compartilhe!

Curtir
Encontro em Miracatu reuniu representantes de cinco municípios do Vale do Ribeira, do Governo do Estado de SP e empreendedores locais
 
No Dia Nacional da Mata Atlântica, um dos biomas de maior diversidade do planeta, ganhou um presente para a posteridade. Na tarde desta segunda-feira, 27 de maio, a Secretaria de Turismo e Viagens de SP realizou a primeira reunião do Conselho Gestor, consolidando a criação do primeiro distrito ecológico do Brasil: o Portal da Mata Atlântica. 
 
Realizada no Legado das Águas, em Miracatu, a menos de 150 Km da capital paulista, o encontro reuniu prefeitos e representantes das cinco prefeituras que compõem o novo distrito: Ibiúna, Juquiá, Piedade, Tapiraí, Miracatu; a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e a de Turismo e Viagens de SP e empreendedores locais. 
 
Com uma das maiores biodiversidades do planeta, o Vale do Ribeira é considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, além de preservar a riqueza cultural com suas comunidades quilombolas centenárias, remanescentes de vilas caiçaras e algumas tribos indígenas.  
 
A criação do novo distrito turístico é parte de um conjunto de iniciativas da Secretaria de Turismo e Viagens de São Paulo (Setur-SP) para fomentar o desenvolvimento sustentável, por meio da atividade turística. Publicado em Diário Oficial, decreto (68.449), o Portal da Mata Atlântica é o sexto distrito turístico paulista. 
 
Entre suas atrações, destaque para o Legado das Águas, uma reserva privada de 31 mil hectares com mais 1.832 espécies animais e vegetais. “Foi um passo importante para uma região de imenso potencial natural”, diz David Canassa, diretor da Reservas Votorantim, empresa que administra o Legado das Águas.
 
O novo território concentra mais de 20 atrações ligadas ao turismo de natureza e aventura, como rafting, canoagem, trilhas, safaris, além de atividades como observação de aves e astros, empreendimentos ligados à gastronomia regional e hospedagens. “O novo distrito terá um papel importante na conservação ambiental, valorizando os produtores e a cultura regional”, diz o secretário de Roberto de Lucena, da Setur-SP.
 
A primeira presidente do distrito, Patricia Haberkorn, do hotel ecológico Fazenda Morros Verdes, afirmou que a organização como distrito vai promover condições favoráveis para se criar um território seguro e sustentável. “Iremos fortalecer empreendimentos já existentes, incentivando a instalação de novos negócios”.
 
A organização como distrito turístico gera impactos significativos na visitação e pode movimentar cerca de R$ 10,3 bilhões no estado até 2030, de acordo com o Centro de Inteligência da Economia do Turismo (CIET). Recentemente, a Secretaria lançou um manual de boas práticas para distritos turísticos e criou um fórum permanente para reunir e divulgar soluções para desafios de infraestrutura, incentivos econômicos e aprofundamento de políticas públicas. O Distrito Turístico tem um modelo de organização com foco na atração de investimentos públicos e privados, gerando benefícios econômicos, fiscais e de crédito, além do aumento no fluxo de turistas. 
 
Na reunião de segunda-feira (27) foram empossados os conselheiros titulares e suplentes, incluindo membros de três secretarias de Estado (Turismo e Viagens; Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística; e Desenvolvimento Econômico) e representantes das prefeituras locais e da sociedade civil.


INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA 
Alan Viana, imprensaturismo@sp.gov.br, (11) 3204-2800 R: 2888
Luciana Vicária, imprensaturismo@sp.gov.br, (11) 3204-2800 R: 2819
Aline Andrade, imprensaturismo@sp.gov.br, (11) 3204-2800 R: 2866
Caroline Figueiredo, imprensaturismo@sp.gov.br, (11) 3204-2800 R: 2830 
Maristela Bignardi, imprensaturismo@sp.gov.br, (11) 3204-2800 R: 2898
Ingrid Chagas, imprensaturismo@sp.gov.br, (11) 3204-2800 R: 2892

Álbum de Fotos