Bertioga

Porta de entrada do Litoral Norte de São Paulo, Bertioga é a estância turística que fica a 110 km da Capital e tem 33 km de belas praias para todos os gostos: as mais distantes e quase desertas, águas tranquilas para os banhistas, outros locais com ondas mais fortes para os surfistas e muita natureza preservada. Eis as principais: Boracéia, São Lourenço, Indaiá, Enseada, Guaratuba e Itaguaré.
Mas bom mesmo é que a diversidade de atrativos é rica, contemplando rios e cachoeiras que vão ao encontro dos que se encantam com o Turismo de Aventura e com o Ecoturismo, além do Turismo Histórico, Cultural e Religioso, entre outros. Tudo isso ao lado de uma boa infraestrutura de gastronomia e hospedagem. E conta a história deste destino, com uma população estimada, pelo IBGE/2020, de 64.723 pessoas, que antigamente era habitada por índios da tribo tupi-guarani, que deram o nome a essa cidade.


Os esportes de aventura são os mais praticados em Bertioga e na paisagem aos pés da Serra do Mar estão rios de águas limpas, cachoeiras e vegetação de Mata Atlântica. As boas ondas da região também atraem os surfistas, assim como há espaço para a canoagem, trekking (percurso pedestre) e acquaride (passeio aquático em corredeiras). O Parque Estadual Restinga de Bertioga forma um corredor ecológico junto ao Núcleo Bertioga do Parque Estadual da Serra do Mar, garantindo a proteção da biodiversidade desse ambiente marinho, incluindo as costeiras e a restinga, até a floresta ombrófila densa (também chamada floresta tropical pluvial). Outro prazer são os passeios de escuna que partem do Píer de Bertioga e circulam por praias e ilhas, costeiam o litoral até Iporanga, onde há pausa para banho em alto mar. No caminho, as belas praias da região da Serra do Guararu.


Já em terra firme, o Forte de São João é a fortaleza considerada a mais antiga do Brasil, concluída pelos portugueses em 1547. Bem conservada, exibe paredes originais e abriga exposição permanente de armas e de ocas indígenas. Na área do entorno do Forte fica o Parque dos Tupiniquins, onde está localizada a única estátua do País do cacique Tupinambá, o Cunhambebe, que esteve ali em 22 de setembro de 1563, acompanhado do padre José de Anchieta, para selar a paz entre colonos e nativos. Esta fortaleza fica na Praia da Enseada, que é bem movimentada e urbanizada. Nesta praia há pista de skate e patinação, calçadão com ciclovia, parquinho para as crianças, além de muitos quiosques que acompanham os seus 12 quilômetros de extensão. Vale dizer que de São Paulo até Bertioga, o acesso é feito pelas Rodovias Anchieta/Imigrantes, Piaçaguera-Guarujá e Rio-Santos; ou Ayrton Senna e Mogi-Bertioga.


 
 
O Forte de São João é a fortaleza considerada a mais antiga do Brasil, concluída pelos portugueses em 1547

 
Uma coisa é certa: as tribos indígenas têm forte influência na formação da cultura bertioguense. Por isso, uma boa escolha pra o turista é visitar a Aldeia dos Índios Guaranis. Trata-se da Aldeia do Rio Silveira que ocupa uma área de quase mil hectares na praia de Boracéia, na divisa entre Bertioga e São Sebastião. O espaço abriga cerca de 500 índios que cultivam palmito e plantas ornamentais, produzem artesanato e apresentam aos visitantes suas danças, músicas e culinária típica. A aldeia recebe visitas organizadas e é possível comprar artesanato e plantas ornamentais. E um dos principais eventos desta estância é a Festa Nacional do Índio que acontece todos os anos por cinco dias no mês de abril, sempre em data próxima ao Dia do Índio (19 de abril), no Parque dos Tupiniquins, ao lado do Forte de São João. Surgiu como forma de resgatar e divulgar a cultura indígena e mostrar a importância de Bertioga no cenário nacional como primeiro povoado de apoio para a Colonização do Brasil. Para tanto uma grande estrutura é sempre montada com áreas para exposições, feira de artesanato indígena, demonstrações de culinária e apresentações típicas.


No calendário de Bertioga, importantes destaques para dois pratos característicos da culinária caiçara: a Festa da Tainha que ocorre desde a década de 70, tornando-se um dos maiores eventos gastronômicos da região. A festividade movimenta a economia e comércio local, recebendo moradores e visitantes para apreciar, este pescado, sempre aos finais de semana entre junho e julho.  Já entre agosto e setembro, a Festa do Camarão na Moranga entre em cena há mais de 27 anos. Ambos são realizados na Tenda de Eventos ao lado do Forte São João, Parque dos Tupiniquins. Estes eventos atraem milhares de turistas interessados na degustação dos pratos caiçaras. Em tempo: diz a lenda que em uma ilha em Ubatuba, havia uma plantação de morangas, e na maré cheia uma das morangas foi parar no mar. Alguns dias depois, a moranga surgiu na praia, cheia de camarões dentro. Uma cozinheira que possuía comércio pelo local viu a cena e pouco tempo depois estava criado o prato, que se tornou sucesso: a moranga recheada de camarões ao molho.


 

A única estátua do País do cacique Tupinambá, o Cunhambebe, está localizado no Parque dos Tupiniquins 

Os livros nos contam que Bertioga surge na História do Brasil com a importância de um dos primeiros pontos geográficos com povoamento regular. Estes locais eram destinados à defesa do povoamento e foram palco de grandes batalhas entre a civilização, representada pelos portugueses de Martim Afonso de Sousa, e a barbárie, representada pelos tamoios de Aimberê, Caoaquira, Pindobuçu e Cunhambebe, em constantes incursões contra os colonizadores. Passado muito tempo o movimento emancipacionista bertioguense persistiu por quase 47 anos, desde a anexação ao município de Santos, em 1944, até a conquista da autonomia, precedida pela realização do plebiscito de 19 de maio de 1991. Bertioga tem sua origem no tupi antigo falado na costa brasileira, através do termo tupi piratyoca, que significa "casa do peixe branco". Para outros, no entanto, Bertioga tem origem no termo tupi buriquioca, que significa "casa do muriqui", teoria mais aceita.



Como chegar

Para ir até Bertioga, saindo da Capital é preciso acessar a  SP-160 (Rodovia dos Imigrantes) até saída 57-B, em seguida a SP-055 (Rodovia Cônego Domênico Rangoni) até saída km 248 e BR-101 (Rodovia Rio-Santos). Ou siga pela SP -70 (Rodovia Ayrton Senna) e depois acesse a SP-98  (Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro, também conhecida como Rodovia Mogi-Bertioga, porque faz a ligação entre os municípios de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo e Bertioga, no litoral).

Mais informações: www.bertioga.sp.gov.br