Campos do Jordão

O turismo de Campos do Jordão merece um Oscar. Os quesitos e as categorias indicadas, os votos do grande público, tudo caminha e sobe por tortuosas curvas da Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (a SP-123), ao longo de lindíssimas paisagens que tiram o fôlego de qualquer turista com máquina fotográfica à mão. Localizada em plena Serra da Mantiqueira, a 180,5 km de São Paulo, essa estância turística, que está a 1.639 m de altitude, é o mais alto município brasileiro. Quando se atravessa o portal da cidade, de aspecto tipicamente europeu, o visitante adentra em uma ambientação de requinte e muita beleza plástica. São mais de 4,5 milhões de turistas todos os anos, sendo que somente no inverno, são recebidas mais de 1,5 milhão de pessoas.

“A Suíça Brasileira”, como é chamada, é um sucesso turístico durante todo o ano, o que cataloga Campos do Jordão como a décima cidade brasileira mais visitada. Motivos para isso não faltam. O clima serrano, a neblina, o ar puro e o verde da Mata Atlântica são ingredientes que emolduram jardins, casas e construções de encher os olhos. A estância, que pertence à Região Turística Mantiqueira Paulista, tem 52.405 habitantes (pelas contagens do IBGE de 2020), está tão acostumada aos mais diversos idiomas dos turistas estrangeiros, quanto a todos os sotaques do Brasil. Nela, o sabor da _fondue_ de chocolate se mistura às milhões de fotos clicadas por todos os lados, seja a pé ou a bordo da Maria Fumaça da Estrada de Ferro Campos do Jordão.

 

O Centro do Capivari é uma vila muito famosa de Campos de Jordão que concentra hotéis, restaurantes e diversas lojas

 
 
As lojinhas com regalos, localizadas dentro de charmosos cafés jordanenses, fazem a alegria de qualquer turista desavisado. Em muitos desses ambientes, as cadeiras e mesinhas _country_, de madeira rústica, combinam com o cenário e a música que se ouve, ao fundo. Percorrendo a cidade a pé, de dia ou de noite, a sensação que o turista tem é a de passear por uma miniEuropa, com todos os atrativos compartilhando o mesmo bom gosto. Para isso, o clima colabora. Campos do Jordão já era conhecida pelos médicos que, por sua vez, acabavam indicando seus pacientes com problemas respiratórios para passarem uma temporada por ali. Isso aconteceu na vida real, com o dramaturgo Nelson Rodrigues, e na ficção, com a personagem de Cacilda Becker no filme “Floradas na Serra”, da Cinematográfica Vera Cruz, de 1954.

Mas não se pode falar de Campos do Jordão sem lembrar do Festival de Inverno, que acontece todos os anos, em julho. O grandioso evento da música de concerto, que tem como cenário principal o Auditório Claudio Santoro, atrai 500 mil visitantes anualmente. O sucesso do Festival é tão garantido que as reservas de hotéis são feitas com praticamente um ano de antecedência. Já o Palácio Boa Vista abriga um acervo de arte colonial e moderna. O Museu Felícia Leirner é detentor de esculturas a céu aberto e no Museu do Chocolate, os turistas podem conhecer o processo de produção do alimento, além do Museu Casa da Xilogravura, o maior do Brasil em seu gênero. Campos do Jordão é, em si, um prêmio de turismo a todo visitante que se preze.



 
O Morro do Elefante, um dos atrativos turísticos mais visitados de Campos do Jordão tem seu cume a 1.800 m de altura




Curiosidades

O nome Campos do Jordão se deve à homenagem ao Brigadeiro Manuel Rodrigues do Jordão, que era o proprietário das terras onde se formou o município, no século XIX.

Apenas a partir dos anos 1950, Campos do Jordão passou a desenvolver seu turismo. Por mais de 40 anos, foi local indicado pelos médicos para o tratamento de tuberculose e outras doenças pulmonares.

Em 19 de junho de 1934, foi criado o município de Campos do Jordão, tendo se emancipado de São Bento do Sapucaí, de onde era distrito.

Na Vila Abernéssia, construída nos anos 1910, ficavam os sanatórios para doentes dos pulmões. Houve a criação de uma prefeitura sanitária em Campos do Jordão em outubro de 1926.
 

Não deixe de ir

...ao Parque Estadual de Campos do Jordão (PECJ), uma unidade de preservação ambiental situada na Serra da Mantiqueira. Tem relevo acidentado e inúmeras nascentes d’água. Há nele a presença de floresta de eucaliptos e cinco trilhas para o turista percorrer (da Cachoeira, Quatro Pontes, do Rio Sapucaí, Celestina e dos Campos).

...ao passeio de Maria Fumaça da Estrada de Ferro Campos do Jordão, utilizada para o turismo desde 1970. Liga Pindamonhangaba a Campos do Jordão pelos trilhos e hoje pertence ao Governo estadual paulista. Inaugurada em 1914, foi idealizada pelos médicos Emílio Ribas e Victor Godinho para o acesso rápido dos pacientes com tuberculose à cidade.

...à Vila Capivari, que é um bairro temático com inspiração europeia. Ao longo do inverno, essa região fica cheia de turistas que vão às casas de _fondue_ e chocolate, às lojas de roupas e às cervejarias. É sugerido aos turistas que façam reserva nos restaurantes, devido à imensa procura.

...ao Morro do Elefante, um local cujo contorno lembra a tromba de um elefante. É um dos lugares típicos de Campos do Jordão, está a 1800m de altitude e do alto, oferece vista panorâmica da região. Pode-se chegar de carro ou pelo teleférico. (R. Marco Antônio Cardoso, 240).
 
Como chegar

Saindo de São Paulo, o principal acesso é a Rodovia Presidente Dutra (BR-116), sentido Rio de Janeiro. Na altura do km 118, o turista deve acessar a Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123), que é o principal acesso a Campos do Jordão. O acesso fica no distrito de Quiririm, no caminho entre Caçapava e Taubaté. São três pedágios, ao total.


 
Para saber mais, clique em www.camposdojordao.sp.gov.br