Cubatão

Se o turista está em busca de um lugar perto da capital, cheio de belezas e uma história de renovação ambiental, Cubatão é o lugar certo. A 66 km de distância de São Paulo, integra a Região Metropolitana da Baixada Santista, e já foi o principal pólo industrial do país. Hoje, como um dos Municípios de Interesse Turístico – MIT desde 2019, demonstra ter grande potencial para ser um dos principais pontos de turismo ecológico de São Paulo.

Cubatão tem uma população estimada, segundo o IBGE/2020, de 131.626 habitantes e sua região turística é a Costa da Mata Atlântica, conhecida por suas riquezas culturais, históricas, humanas, naturais e gastronômicas. O município é o único da Baixada Santista que não é litorâneo, mas por outro lado, é contemplado pela Mata Atlântica e abriga inúmeras espécies de fauna e flora, sendo um lugar privilegiado com seis dos oito tipos de vegetação: caixetal, floresta de encosta da Serra do Mar, restinga, floresta de planície litorânea, floresta periodicamente inundada e manguezal.

O ecoturismo da cidade é extenso e tem muito a oferecer para o turista com suas belezas naturais. O Parque Estadual da Serra do Mar preserva a maior parte da biodiversidade e ecossistema da Mata Atlântica do Brasil, cerca de 315 mil hectares. Está presente nas cidades do Rio de Janeiro até São Paulo e é dividido por núcleos. Este parque ocupa 44% do território da cidade e por lá habitam várias espécies de animais e floras em extinção, como o macaco-prego, a jaguatirica, o bicho-preguiça a anta, palmito e orquídeas. O visitante pode ainda se aventurar pelas trilhas do Passareúva, Rio Pilões e da Usina. O núcleo Itutinga-Pilões está localizado em uma área de ruínas do século XIX, com uma pequena vila voltada para a cultura da banana e da mexerica, casas rústicas, uma antiga capela, prefeitura, cadeia e um mini-hospital.

 
 

O Roteiro Histórico-Cultural é um tour que remete o visitante ao passado por destacados locais para a história da cidade
 
 
Tem mais: o Parque Municipal Anilinas está onde ficava a antiga Fábrica Anilinas, e depois que entrou em falência se tornou patrimônio da cidade e algumas partes foram preservadas. Já no Parque Ecológico do Perequê há inúmeras cachoeiras e corredeiras, com destaque para o Véu de Noiva, uma queda d'água de mais ou menos 60 metros de altura, e também há a trilha rio Perequê, que relembra o Caminho do Padre José de Anchieta, por ser íngreme com rochas e matas adentro é considerada uma caminhada difícil, mas com uma beleza recompensadora.

Outra opção de ecoturismo é o Caminhos do Mar, dentro do Parque Estadual da Serra do Mar, onde o visitante se aventura pela antiga estrada de Santos em uma caminhada de quatro horas e 30 minutos no passeio “Histórico I” e conhece os monumentos históricos da cidade, como o Monumento do Pico, Pouso Paranapiacaba, Ruínas, Pouso Circular, Rancho da Maioridade e o Padrão do Lorena. Também pelo lado histórico – cultural há tours pelo Largo do Sapo, Parque Anilinas, Cruzeiro Quinhentista, Biblioteca Municipal e Vila da Light entre outros atrativos.

Um ponto forte de Cubatão é o turismo industrial, pois seu desenvolvimento industrial e tecnológico é destaque dentro e fora do país por causa da produção de petróleo, aço e energia. A Vila da Companhia Santista de Papel mantém registros importantes das primeiras vilas operárias da região na década de 1920, a Vila Light, administrada pela EMAE (Empresa Metropolitana de Águas e Energia), permite visitas agendadas na usina hidrelétrica e conhecer as instalações subterrâneas, na USIMINAS (Companhia Siderúrgica Paulista - COSIPA) mostra os processos produtivos e divulgação dos produtos, a Refinaria Presidente Bernardes foi a primeira grande refinaria do país e a Carbocloro é a empresa do polo industrial que mais investe na recepção à comunidade.

 
 
O Parque Ecológico do Perequê é local certo para quem busca diversão e adrenalina com trilhas, corredeiras e cachoeiras

Com o avanço do seu polo industrial e da chegada de vias importantes, como a Via Anchieta, Cubatão se tornou um grande centro de tráfego de veículos de passeio e de carga e uma cidade importante para o desenvolvimento do Brasil, sendo até hoje um dos maiores polos petroquímicos da América Latina. Mas com o crescimento do parque industrial, a poluição também cresceu, na década de 1980 o município foi considerado a cidade mais poluída do mundo pela ONU, sendo reconhecida mundialmente como “Vale da Morte”. Tentando reverter a situação, o governo, a indústria e a comunidade se uniram e conseguiram controlar 98% do nível de poluição, ganhando o título de "Cidade-símbolo da Recuperação Ambiental" pela ONU, em 1992, e o apelido de “Vale da Vida”.

Conta a história que no século XVIII começou a surgir o primeiro povoado, denominado Porto Geral de Cubatão, e por causa do seu rápido crescimento, por volta de 1833 e 1841, elevou-se à categoria de município, mas que durou por pouco tempo e logo foi anexado a Santos. Com a chegada da Usina Light e da Companhia Santista de Papel na década de 1920 e as demais indústrias que vieram depois, no dia 1º de janeiro de 1949 conquistou sua emancipação político-administrativa e no dia nove de abril o primeiro prefeito tomou posse, tornando-se a data comemorativa do aniversário de Cubatão. Segundo Dicionário Etimológico, a origem da Palavra Cubatão vem dos ingleses ferroviários. Durante as obras de construção das ferrovias no planalto paulista, eles olhavam lá de cima o lugar onde hoje fica Cubatão e comentavam que aquela área parecia uma cidade de Cuba (Cuba Town).



Como chegar

Para ir até Cubatão, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-160 (Rodovia dos Imigrantes) até saída 57-B e a SP-055 (Rodovia Cônego Domênico Rangoni) até a saída no km 270.



 
Mais informações: http://www.cubatao.sp.gov.br/