Eldorado

Turistas são guiados por um trajeto de uma hora e meia pelas galerias, escadas, estalactites, estalagmites (estruturas de rochas sedimentares formadas dentro de cavernas) e correntes d’água da Gruta da Tapagem, mais conhecida como a Caverna do Diabo, a maior de todo o Estado de São Paulo, localizada na estância turística de Eldorado, a 250 km da capital paulista. Trata-se de um dos pontos mais icônicos do turismo eldoradense. Esse passeio pelas formações rochosas de 600 milhões de anos faz a alegria das máquinas fotográficas e das lembranças dos visitantes. A cidade, por sua vez, faz parte da Região Turística Cavernas da Mata Atlântica, situa-se numa região serrana muito diversificada e tem mais de 70% de sua área coberta pelo bioma de Mata Atlântica intacta, em excelente estado de conservação.

Possuindo uma população de 15,5 mil habitantes, pelas contagens do IBGE em 2020, Eldorado costuma receber visitantes voltados ao Ecoturismo e o Turismo de Aventura. As pousadas da cidade oferecem serviço de turismo receptivo e costumam levar os visitantes ao Parque Estadual da Caverna do Diabo, a quilombos como o de Ivaporunduva, e da mesma forma à Cachoeira do Meu Deus, após trilhas que chegam a durar cinco horas de caminhada. A estância também tem 30% de seu território ocupado por unidades de conservação, como é o caso dos parques estaduais do Jacupiranga e  Intervale, que são áreas destinadas à preservação da Floresta Atlântica. No passado, a busca do ouro fez nascer Eldorado, hoje, o turismo faz a cidade se transformar em ouro.


A Caverna do Diabo é tida como a 8ª Maravilha do Mundo com salões fantásticos e roteiros para todas as idades

Por volta dos anos 1920, o naturalista, botânico e geólogo português Manoel Pio Correa, em visita científica à região de Eldorado, apelidou o Vale do Ribeira de “a Amazônia Paulista”. Por sua vez, o “Vale” foi reconhecido pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como “Patrimônio Natural da Humanidade”, desde fevereiro de 1993. A natureza enche os olhos dos turistas que chegam à cidade, com relevo de morros bem altos e vales profundos, onde se podem encontrar pequenos córregos e ribeirões com águas bem cristalinas. Isso sem falar nas quedas d’água de grande beleza, como as da Cachoeira do Meu Deus, de 53 metros de altura, cujo nome veio da expressão “Meu Deus!”, tamanho o encanto.

Interessante observar que em Eldorado não se é permitido fazer nenhum passeio sem o acompanhamento de guia local e graças a esse trabalho de turismo receptivo, é possibilitado ao visitante aprender muito sobre a região e conhecer o que ela tem de melhor. Em agosto de 1995, foi reconhecido o potencial do destino para atrair visitantes e, assim, a cidade foi elevada à categoria de estância turística. Na Praça central de Eldorado está localizada a Igreja de Nossa Senhora da Guia, a padroeira da cidade, cuja primeira construção se deu em setembro de 1757. No entorno da praça, há infraestrutura razoável para as necessidades dos turistas como restaurantes, bares, farmácias, padarias, supermercados, bem como agências bancárias.




Cachoeira do Meu Deus, cujo nome veio da expressão “Meu Deus”, tamanho o encanto, foi eleita a mais bela do Estado
 
Curiosidades

A famosa Caverna do Diabo recebeu esse sinistro nome devido a escravos que fugiram das minas de ouro da região e nela se esconderam. Ao ouvirem gemidos do fundo da caverna, pensaram que poderia ser mesmo o diabo. A caverna foi catalogada pelo pesquisador alemão Richard Krone, que realizou várias expedições científicas no local.

• Somente em 1948, a cidade recebeu o nome de Eldorado, em alusão ao período da exploração aurífera no Vale do Ribeira (nos séculos XVII e XVIII). O nome original da vila era Xiririca (um nome indígena que significa “águas correntes”). Eldorado tornou-se município em 10/03/1842.

• Eldorado foi uma das primeiras cidades em todo o estado de São Paulo a dispor de energia elétrica, gerada por uma usina própria em seu território e que operou de 1926 a 1962.

Não deixe de ir

• ...à Caverna do Diabo, que no total tem 6,5 mil metros de extensão, mas apenas 700 metros são permitidos para visitação, sempre com guia. É tida por muitos como a Oitava Maravilha do Mundo, tem salões fantásticos e a estrutura possibilita roteiro para visitantes de todas as idades. Duração do passeio: 1h30min.

• ...ao Quilombo de Ivaporunduva, do século XVI, que nasceu antes mesmo que Eldorado fosse fundada. Está localizado às margens do Rio Ribeira do Iguape e sua comunidade é composta por 80 famílias. Há uma pequena igreja original do século XVII, no local.

• ...à Cachoeira do Meu Deus, que foi eleita por turistas como a mais bonita do estado de São Paulo. A queda d’água de 53 metros tem origem numa nascente que atravessa quatro quilômetros no interior da Caverna do Diabo. O acesso mais curto (uma hora) oferece dificuldade média, com piscinas naturais de água cristalina e três quedas menores. A trilha completa leva cinco horas e inclui 11 quedas d’água.

Como chegar

Para ir até Eldorado, saindo de São Paulo, é preciso acessar a Rodovia Régis Bittencourt (BR-116). Ao chegar em Jacupiranga, no km 217, o turista precisa acessar a SP-193 (Rodovia Prefeito Manoel de Lima/José Edgar Carneiro dos Santos) para chegar em Eldorado, com tempo de viagem de até quatro horas.



 
Para mais informações, entre no site www.eldorado.sp.gov.br