Holambra

Holanda, América, Brasil. Foi com a junção desses três nomes que, nos anos 1940, foi fundada Holambra, uma colônia tipicamente holandesa situada na região de Campinas, a 134 km de São Paulo e que hoje é a famosa “Cidade das Flores”, conhecida dentro e fora do País. Charmosa, tranquila, multicolorida, a cidade ganhou da Embratur o título de estância turística em 1998, cinquenta anos após sua fundação (14 de julho de 1948). Os turistas enlouquecem a cada ano, entre agosto e setembro, quando o maior evento da América Latina voltado para as flores, a Expoflora, abre as suas portas. São mais de 300 mil visitantes anualmente, para provar a culinária holandesa, tirar fotos, fazer tours, assistir às danças típicas e comprar flores. Muitas flores.

Com uma população estimada de 15,3 mil habitantes (pelo IBGE de 2020), Holambra possui mão de obra qualificada para o setor agrícola e se destaca por ser o maior centro produtor de flores e plantas ornamentais da América Latina. Para o turista que vai à cidade para um final de semana ou aos seus eventos, a estância tem o melhor índice de segurança do País. Pertencente à Região Turística Águas e Flores Paulista, o município oferece ao visitante um pouco da cultura dos Países Baixos (Holanda, Bélgica e Luxemburgo) através da arquitetura, do artesanato, de espetáculos de música e dança e da gastronomia típica em vários eventos, exposições e feiras temáticas. Hospedagem não falta. Holambra conta com vários hotéis, pousadas, chalés e áreas para camping.

 


O Moinho Povos Unidos é um famoso cartão postal de Holambra, sendo uma réplica de moinhos holandeses do século XVIII


Desde o portal de entrada da cidade, o turista já começa a perceber que está num lugar que cultiva raízes do Norte da Europa. Um de seus atrativos é o Moinho Povos Unidos, de 38,5 metros de altura (correspondente a um prédio de nove andares), com pás de 25 metros de comprimento e pesando mais de 90 toneladas, sendo o maior moinho da América Latina. Construído em 2008, a obra é uma réplica fiel de tradicionais moinhos moedores de grãos, típicos das províncias da Holanda do Sul. Já o Roteiro Gastronômico holambrense convida o turista a experimentar sabores neerlandeses em 13 estabelecimentos, entre restaurantes, choperias, cafés e confeitarias. É uma rica culinária internacional, com opções de cozinha holandesa, indonésia, árabe, italiana e brasileira.

Falar de flores de Holambra é falar da Expoflora. Realizada desde 1981, o evento chegou a atrair 12 mil pessoas em um único final de semana do ano de estreia e sempre teve como principal objetivo o resgate dos aspectos culturais e sociais da comunidade holambrense. A Expoflora, que foi a principal responsável por ajudar a cidade a se elevar à categoria de estância turística, além de divulgar a cultura holandesa, conta com Exposição de Arranjos Florais, Mostra de Paisagismo e Jardinagem “Minha Casa & Meu Jardim”, Mini Sítio, Parque de Diversões, Museu Histórico Cultural, Desfile “Parada das Flores”, Chuva de Pétalas, além de restaurantes, lojas de souvenires e apresentações de dança típica holandesa. A Cidade das Flores sempre busca surpreender.


 

As casas com fachadas típicas holandesas são encantadoras e trazem todo o charme de Amsterdam ao interior paulista

 
Não deixe de ir

• ...ao Moinho Povos Unidos, que oferece ao turista um mirante com visão privilegiada de Holambra e seus cinco andares temáticos são abertos à visitação. Localiza-se na Alameda Maurício de Nassau, 249, próximo à rodovia SP-107. Detalhe: o Serviço de Apoio ao Turista está localizado no moinho.
• ...ao Museu Histórico da Imigração, que conta a trajetória dos imigrantes que vieram da Holanda depois da Segunda Guerra Mundial, até chegar à Fazenda Ribeirão (onde foi fundada a Colônia Holambra I). Há acervo fotográfico, filmes e relíquias, implementos e maquinários agrícolas, utensílios domésticos, mobiliário original e réplicas de tradicionais casas de época. Localiza-se na Alameda Maurício de Nassau, 894, Centro.
• ...aos ranchos que oferecem cachaça artesanal produzida em Holambra, além de comida caseira feita no fogão à lenha. Há também áreas com aluguel de chalés, de camping e pesca, além de turismo rural, com espaços que oferecem restaurante, churrasqueira, piscinas, trilhas, campos de futebol e para vôlei de areia.

Curiosidades

• O Moinho Holandês de Holambra tem 38,5 metros de altura (para se ter uma ideia, o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, tem 30 metros, mais os oito metros do pedestal) e foi desenhado pelo arquiteto holandês Jan Heidra, que já construiu e reformou aproximadamente 400 moinhos.
• Dentro do Moinho, em 12 de julho de 2008, foi fechada uma cápsula do tempo contendo mensagens deixadas pela população de Holambra. A abertura da cápsula está programada para 100 anos após o seu fechamento, prevista para abrir no dia 12 de julho de 2108.
• Holambra é o maior exportador de flores da América Latina, sendo responsável por 80% da exportação e por 40% da produção do setor florícola do Brasil.
• A cidade foi oficialmente fundada em 1991, mas as raízes holandesas datam do final da década de 1940, com a fuga em massa de neerlandeses, vitimados pela devastação da Segunda Guerra Mundial.
• Na Holanda, o hábito de cultivar flores (principalmente as tulipas) é muito presente, como no Parque Keukenhof, na cidade de Lisse, que expõe milhões de exemplares entre abril e maio. A Holanda é chamada de “Jardim do Mundo” e Holambra ficou sendo, assim, o “Jardim do Brasil”.

Como chegar

Para chegar até Holambra, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) até a saída 47, a SP-330 (Rodovia Anhanguera) até a saída 86, a SP-083 (Rodovia José Roberto Magalhães Teixeira), a SP-065 (Rodovia Dom Pedro I) até a saída 133, a SP-340 (Rodovia Gov. Adhemar de Barros) até a saída do km 140 e a SP-107 (Rodovia Lian Aziz) até a saída do km 31.





 
   Mais informações: www.holambra.sp.gov.br/turismo