Ibitinga

Conhecida com a Capital Nacional do Bordado, Ibitinga está localizada bem no centro geográfico do estado de São Paulo, no Vale do Médio Tietê, Região de Araraquara, distante 358 km da Capital. Com uma população estimada (pelo IBGE de 2020) de 60.600 pessoas, o município é formado pela sede e pelo distrito de Cambaratiba, sendo estância turística desde 1992.

Bom ressaltar que os bordados e enxovais não foram os únicos elementos que contribuíram para a cidade ficar famosa, recebendo milhares de turistas durante todo o ano. Ibitinga abriga um verdadeiro santuário ecológico, o Pantaninho, único a ter as características do Pantanal mato-grossense, mas em menor proporção. Como os recursos naturais são abundantes neste destino, Ibitinga é banhada pelos rios Tietê, Jacaré-Pepira, Jacaré-Guaçu, São Lourenço, São João e Ribeirão dos Porcos. Assim, o município se destaca também em seu sistema fluvial.
 


A Usina Hidrelétrica AES Tietê é uma das atrações turísticas mais visitadas da cidade

O rio Tietê conserva suas águas despoluídas e abriga a Usina Hidrelétrica de Ibitinga que, através do canal da eclusa, integra a importante Hidrovia Tietê-Paraná. O Gasoduto Brasil-Bolívia também passa pelo município e o melhor, o Jacaré-Pepira detém o título do rio mais limpo e preservado do nosso Estado. Nele está localizado o Pantaninho, que possui uma mata ciliar exuberante e abriga uma quantidade enorme de animais e peixes. Neste local podem ser avistados lobos-guará, tuiús, biguás, entre outros. O Pantaninho é muito apreciado pelos pescadores, que encontram nele grande quantidade de espécies de peixes que podem ser pescados.

Neste município o turismo é diverso, e assim, o visitante atraído pelos bordados pode visitar as lojas de fábrica, do Centro Comercial e a Feirinha de Artesanato com aproximadamente 600 barracas (somente aos sábados). O principal evento é a Feira do Bordado, que acontece no mês de julho, reunindo 130 expositores, sendo que 60 são de empresas só de bordados. Instalada em uma área de aproximadamente 14 mil metros quadrados, a Feira apresenta a produção da indústria têxtil da cidade durante 11 dias seguidos e atrai milhares de turistas ao município. A importância do setor para a região não se resume apenas ao faturamento da feira. A cada dez trabalhadores de Ibitinga, oito estão empregados em fábricas e lojas de bordados.

 

A Feira de Artesanato do Bordado de Ibitinga, conhecida em todo o Brasil, atrai compradores e visitantes o ano todo

Se a indústria e o comércio de bordados, com artigos de cama, mesa e banho, são os grandes responsáveis pelo desenvolvimento econômico de Ibitinga, nos últimos anos, a cidade tem mais um orgulho: sua arte. O Museu Municipal Duílio Galli é um exemplo de visita obrigatória para os turistas. Neste local, é possível observar cerca de 128 obras, como: pinturas a óleo, gravuras, desenhos, serigrafias e esculturas acadêmicas, impressionistas e primitivas. Em tempo: lá estão expostas obras importantes como “Bandeirinhas”, do italiano Alfredo Volpi, “O Cangaceiro” de Aldemir Martins, “Crianças” de Tarsila do Amaral, “Seguindo o Mestre” e “Via Sacra” de Duílio Galli.

Já pelo aspecto religioso, destaque para a Via Sacra, as festas de São Benedito, São Cristóvão, do Bordado, do Padroeiro da cidade (seis de agosto) e da Procissão de Corpus Christi, que é celebrada de forma diferente. Os fiéis da cidade preparam tapetes feitos de tecidos bordados. Eles são colocados no espaço de 10 quarteirões na região da Igreja Matriz, por onde passa a procissão. O evento é realizado há mais de 35 anos na cidade e em média 50 mil pessoas prestigiam a festa. Todos os anos, a população doa produtos, como roupas de cama, mesa e banho, que são bordadas pelas profissionais desta arte da cidade. Além disso, muitos voluntários ajudam na montagem dos tapetes.

Curiosidades

• Conta a história que a origem do nome Ibitinga é tupi-guarani: "ibi" - terra e "tinga" - branca.
• Em outubro de 1870 foi formada a Vila de Ibitinga. Em 1885, por Lei provincial, Ibitinga foi elevada à categoria de Distrito de Paz.
• Em julho de 1890, por força da Lei de número 66, assinada pelo então governador Prudente de Moraes Barros, a cidade teve a sua emancipação político-administrativa.

Como chegar

Para chegar até Ibitinga, saindo da Capital, é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) até a saída 168, a SP-310 (Rodovia Washington Luiz), até a saída 287, a SP-331 (Rodovia Victor Maida),  em seguida ir até o Trevo do km 58 e a SP-365/304 (Rodovia Manoel Alves Lopes).

 
Mais informações: www.ibitinga.sp.gov.br