Igarapava

Igarapava é um município privilegiado, pois além de ser banhado pelo Rio Grande, faz parte das rotas turísticas da Alta Mogiana, Circuito dos Lagos e Uai Paulista, promovendo atividades de turismo náutico, de pesca, pedagógico, rural e gastronômico. Integrante da região metropolitana de Franca e distante 461 km da Capital, a cidade possui, segundo a estimativa do IBGE/2020,
30.614 pessoas.

Em tempos não muito distantes, Igarapava tinha como destaque a produção agrícola, de cana-de-açúcar, arroz, milho, algodão, café, feijão e amendoim. Ainda tem, tudo isso, no entanto agora conta também com a atividade turística que cresceu, em especial, desde fevereiro de 2019, quando então se tornou Município de Interesse Turístico - MIT.  Entre as atrações turísticas, estão o Rio Grande, a Usina Junqueira e Usina Hidrelétrica de Igarapava.
 
 

Grande atrativo de Igarapava é a ponte que faz a ligação deste MIT paulista com o Estado de Minas Gerais
 
O município de Igarapava, localizado na divisa com Minas, está passando por uma transformação, em conseqüência da desapropriação da fazenda Cana Brava, e assim foi dada a largada para um novo cenário turístico. Na proposta de Igarapava, o projeto do Parque Ecoturismo Porto das Canoas está sendo tirado do papel, assim como a Praia Artificial na divisa com o município com Delta (MG). Também o Museu da Revolução Constitucionalista de 1932 (em que Igarapava foi um campo de batalha) saiu do papel com os projetos do Município. Todas essas ações estão em andamento.

Explicando melhor: o Parque Ecoturismo situado a pouco mais de cinco quilômetros do centro urbano e a área está recebendo o cercamento e implantação da rampa para os barcos, ponte para travessia entre outros.  A Praia Artificial também está com os projetos em andamento, já que em todos os finais de semana recebe em torno de três mil pessoas.  Além disso, o Museu da Revolução Constitucionalista de 1932 será instalado em área próximo à ponte da divisa com Minas. Afinal, a ponte de ferro, construída por alemães foi o palco do confronto entre mineiros e paulistas.

Bons atrativos são os alambiques artesanais que oferecem roteiros de turismo rural e Igarapava conta, com recursos naturais de destaque, como cachoeiras, piscinas naturais, riachos, escarpas e paredões potenciais para prática de rapel, trilhas para jipes e motos, Também é bom salientar quer a cidade possui comércio bem desenvolvido e edificações de grande importância, com arquitetura do início do século passado. Vários prédios e ruas centrais ainda conservam paralelepípedos artesanais da época de sua construção. Destaca-se o conjunto da vila operária da Usina Junqueira, composto por casas, igreja e museu de arquitetura da segunda década do século XX.


 
Vista aérea do Parque Ecoturístico Porto das Canoas localizado às margens do Rio Grande
 
Conta a história que as terras onde hoje se localiza o município de Igarapava foram local de passagem e descanso dos bandeirantes paulistas rumo às minas dos índios goiazes. Essas terras foram doadas pela Coroa Portuguesa, por volta de 1720, aos bandeirantes Bartolomeu Bueno da Silva (o Anhanguera) e João Leite da Silva Ortiz. Em agosto de 1892, foi criada a Comarca de Santa Rita do Paraíso e em dezembro de 1906, foi elevada à categoria de município. Em novembro de 1907 Santa Rita do Paraíso teve seu nome mudado para Igarapava. A escolha do nome foi justificada pelo fato do Porto de Ponte Alta ser chamado de Porto das Canoas, porque várias canoas auxiliavam a barca na travessia do Rio Grande.

Atenção para a palavra "Igarapava" que é um termo de origem tupi que significa "Porto de canoas", através da junção dos termos ygara (canoa) e upaba (Porto). Numa tradução mais objetiva e a qual foi realmente chamada, Igarapava quer dizer: "Porto das Canoas”. Em tempo: dois artistas famosos nasceram em Igarapava: o cantor e compositor Jair Rodrigues (1939 – 2014) e o também cantor e compositor José Ramiro Sobrinho, o Pena Branca (1939 – 2010).


Como chegar

Para ir até Igarapava, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) e a SP-330 (Rodovia Anhanguera) até a saída 443.


 
Mais informações: www.igarapava.sp.gov.br