Ipe˙na

Privilegiada por um cenário natural onde interagem rios e morros, a pequena Ipeúna pertence à Região Turística Serra do Itaqueri e fica localizada a 195 km da capital paulista. A cidade, que obteve o título de Município de Interesse Turístico (MIT) em março de 2019, conta com uma paisagem onde o turista pode encontrar cachoeiras (como as da Lapinha e Nenê), o Parque Ecológico Henrique Barbeta, cavernas (como a do Fazendão), mirantes e lugares por onde se pode percorrer trilhas e fazer observação de aves. Ipeúna, cujo nome em tupi-guarani significa “ipê preto” ou “madeira preta” (devido à grande presença de madeira escura na região), tem uma população de 7.687 habitantes (pelo IBGE de 2020) e entre suas maiores potencialidades para atrair visitantes estão o Turismo de Aventura e o Ecoturismo.

Os atrativos naturais de Ipeúna enchem os olhos. Pegando uma estrada em direção a noroeste do centro da cidade, chega-se ao Parque Ecológico Henrique Barbeta, com seu ecossistema em perfeito equilíbrio, proporcionando ao visitante um contato agradável com a natureza. Dotado de águas límpidas, é neste parque que está o Salto do Nhô Tó, além de uma represa para pesca, gramado para esportes, espaço para fazer churrasco e uma praia de areia branca. No encontro dos rios Cabeça e Passa Cinco, há o pequeno Salto Serra d’Água, que também forma uma bela paisagem em meio às rochas. Em Ipeúna, encontram-se também a Cachoeira da Lapinha, com 75 m de altura, na Serra do Fazendão e a Cachoeira do Nenê, de dez metros, dentro do Camping do Nenê, a nordeste do centro, com um lago ideal para o turista tomar banho.

 
 
Salto Nhô Tó é o destaque no Parque Ecológico Henrique Barbeta, com ecossistema em perfeito equilíbrio
 
 
Para os amantes de motocross, mountain bike e veículos 4x4, a bela Trilha do Cabrito guarda vários graus de dificuldade que a erosão proporciona, sendo essa trilha a mais procurada pelos visitantes. Já a Trilha de Vagalume, de beleza inigualável, termina em frente ao paredão Cara de Índio, na Serra do Itaqueri, passando por leitos de rios e grandes erosões. Outro local que os turistas precisam conhecer é o Parque de Ipeúna, onde foram plantadas três mil mudas de espécies nativas raras, entre elas algumas árvores frutíferas e o raro Pau-Brasil. Um ponto de visitação da cidade é a Serra de Itaqueri, conhecida pela beleza cênica, onde os visitantes poderão voar de parapente, entrar em grutas, fazer trilhas e passar momentos contemplativos em mirantes.

Ipeúna tem boa estrutura de recepção turística com hotéis, pousadas, albergues e restaurantes. A cidade conta com eventos como a Festa do Peão de Ipeúna (em quatro dias de abril), com shows de música sertaneja, praça de alimentação, desfiles de cavaleiros, bailões e boate VIP, o Campeonato Municipal de Truco e onde também ocorrem rodeios com os melhores peões do País e as melhores tropas. A Expo Ipeúna, também em abril, é uma feira agropecuária, industrial e comercial, sendo que em 2005, a cidade foi chamada de Capital da Agricultura Natural. O turismo cultural ipeunense conta com o Museu Municipal e sua coleção de fósseis e artefatos arqueológicos. Ipeúna é, portanto, uma cidade que reserva muitas surpresas para os turistas.

 

Conhecida na região por sua beleza cênica, a Serra do Itaqueri conta com diversos mirantes que dão boas paisagens

Conta a história que Ipeúna remonta ao ano de 1890, quando Vicente Barbosa, considerado o fundador da mesma, doou uma área de seis alqueires de terras, na região conhecida como Santa Cruz da Invernada, local onde se ergueu uma capela, cuja padroeira era Nossa Senhora da Conceição. Logo os interessados tomaram posse da área doada e outros compraram terras ao redor desse patrimônio, originando-se assim os primeiros sinais de uma nova comunidade.
Em 1894, o patrimônio é elevado a Distrito de Paz, com o nome de Santa Cruz da Boa Vista, em Santa Cruz da Invernada”, núcleo de população do município de “São João do Rio Claro”. Em 1897, criou-se o Distrito de Paz de Passa Cinco, gerando dessa forma a duplicidade de nome para o mesmo Distrito. O nome “Passa Cinco”, dado ao Distrito, originou-se do rio que banha a região, porque quem partisse da Cidade de São João do Rio Claro, com destino a Santa Cruz, tinha de atravessar cinco águas. Em 1906, para dispor da duplicidade de nomes, passou a denominar-se “Ipojuca” , que significa “água suja”, situação que prevaleceu até 1944, quando mudou para “Ipeúna”, significando “ipê preto”.



Como chegar

Para ir até Ipeúna, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) até a saída 168, a SP-310 (Rodovia Washington Luiz) até a saída 179 e a SP-191 (Rodovia Irineu Penteado).


 
Mais informações: www.ipeuna.sp.gov.br