Itararé

Cercado pelo verde da Mata Atlântica, o município de Itararé está no sudoeste do estado de São Paulo como integrante da Região Administrativa de Itapeva, fazendo divisa com o estado do Paraná e distante 345 km da Capital. Privilegiada por uma beleza natural praticamente intocada, e com uma população estimada, pelo IBGE/2020, em 50.642  pessoas, oferece um leque de atividades voltadas para o Ecoturismo e Turismo de Aventura por inúmeras trilhas e diversos pontos para a prática de boia cross, mountain bike e rapel.

Os atrativos turísticos de Itararé, cujo nome da cidade é de origem tupi-guarani e significa “pedra que o rio escavou”, passam pela Trilha do Segredo, Cachoeira do Corisco e o famoso cânion do Jaguaricatú. Considerado uma das paradas obrigatórias na região, ele fica entre o município paulista e a cidade de Sengés, no Paraná e é classificado como o oitavo maior cânion do mundo. Por isso Itararé faz parte da Região Turística dos Cânions Paulista e como conseqüência, toda região sul de São Paulo é conhecida como Circuito Turístico dos Cânions. Vale explicar que cânions e serras são originários da formação Geológica Furnas, uma formação geológica da Bacia do Paraná.

Experiência, preparo físico e espírito de aventura são qualidades fundamentais para quem procura, por exemplo, a Trilha do Segredo na cidade de Itararé. Uma caminhada que começa próxima ao Rio Três Barras, com um percurso médio de 24 km de ida e volta e percorre uma área conhecida por pescadores e trilheiros. Bom saber que o rio da Cachoeira do Segredo desce das terras paranaenses pelo paredão de 60 m e deságua no Rio Itararé na divisa com São Paulo. Seu acesso é possível somente pelo lado paulista e mais alguns quilômetros de caminhada a visão fica por conta da deslumbrante Cachoeira do Corisco. Tem mais: a cavalgada é uma tradição histórica da região desde a época dos antigos tropeiros que vinham do Sul do país. Costume bem difundido no local, as cavalgadas acontecem em todas as épocas do ano favorecidas pela presença das áreas rurais e as belas paisagens de cânions e serras, que sempre encantam os participantes.

 
 
Gruta da Barreira, espetáculo natural reunindo fendas, cascatas, peculiar biodiversidade e poços esculpidos pelas águas
 
Passeando pela natureza de Itararé que é Município de Interesse Turístico – MIT, desde 2018, há muitas grutas subterrâneas no Rio Itararé, na divisa de São Paulo com o estado do Paraná. Através da mata que recobre uma grande extensão do seu curso, nota-se o escachôo (água que cai) maravilhoso desse fabuloso rio que vem perfurando as profundezas das rochas, numa erosão subterrânea que se prolonga por grande extensão, do Vale do Corisco à Gruta da Barreira. Tem mais: Parque Ecológico da Barreira, Gruta da Barreira, Gruta da Santa ou simplesmente Barreira, como é popularmente conhecida, destaca-se pela peculiar biodiversidade, recursos naturais, fendas, cascatas, poços esculpidos pelas águas e o espetáculo proporcionado pela revoada das andorinhas no final da tarde, quando retornam para o abrigo dos paredões rochosos, onde se encontram seus ninhos.

As opções são muitas, como mostra o Rio Verde, um dos rios mais conhecidos da região cujo nome deriva da sua coloração esverdeada devido às rochas calcárias do seu leito. Sua nascente fica no município de Itararé em uma altitude de 1000m em área de preservação estadual e percorre um longo trecho por áreas protegidas e particulares de reflorestamento de pinus e eucaliptos. Suas corredeiras leves, poços e “panelas” são perfeitos para o lazer e descanso, além da prática do boia cross. Já em relação aos mirantes a cidade, o Morro Chato alcança a altitude de 800m e por estar numa área isolada permite uma boa visão panorâmica. O local possui infraestrutura para alimentação com comida caipira e um delicioso café. Em tempo: este morro foi ponto de observação e orientação durante a Revolução de 32, um marco importante na história brasileira.

Conta a história que Itararé inicialmente foi habitado por índios Guainases, e tornou-se ponto conhecido de bandeirantes, exploradores, jesuítas e estudiosos, firmando-se como um dos pontos de descanso dos tropeiros que convergiam do sul levando animais para a feira de Sorocaba pelo conhecido Caminho das Tropas. Tornou-se Freguesia, em março de 1885, e Distrito de Paz, em fevereiro de 1891. E em agosto de 1893, cria-se o Município de São Pedro de Itararé, desvinculando-o do município de Itapeva. O prefeito só passou a surgir em 1908, sendo eleito anualmente pelos vereadores. Finalmente, em dezembro de 1922 foi definida como Comarca, contudo a cerimônia de instalação deu-se somente em 26 de fevereiro de 1923.



 
A cavalgada é uma tradição histórica da região favorecida pelas áreas rurais e belas paisagens de cânions e serras
 
Como chegar

Para  ir até Itararé, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 78; a SP-075 (Rodovia José Ermírio de Moraes) até a saída 7-B; a SP-091/270 (Rodovia Celso Charuri); a SP-270 (Rodovia Raposo Tavares); a SP-127 (Rodovia Francisco da Silva Pontes) até a saída do km 213-A e a SP-258 (Rodovia Francisco Alves Negrão).




Mais informações: www.itarare.sp.gov.br