Itariri

O turista irá encontrar a pequenina Itariri em meio à Mata Atlântica, a cerca de 157,3 km da capital paulista, num espaço de transição entre o Litoral Sul de São Paulo e o Vale do Ribeira. A cidade, que se tornou município de interesse turístico (MIT) em fevereiro de 2019, é uma das componentes da Região Turística Caminhos da Mata Atlântica e guarda em seu território uma variedade de espécies de árvores como a peroba, o ipê, o jacatirão, o angelim e o jatobá, entre outras. Palmito e canela também são encontrados entre os produtos que nascem no solo itaririense, além de flores como as bromélias, que são o maior destaque das florestas da região. Itariri está inserida nas serras do Mar e do Itatins, com vegetação de mata tropical úmida de encosta.

A cidade fica apenas 52 metros de altitude em relação ao nível do mar, sendo que o ponto mais alto é o Morro das Três Pontas, a uma altitude de 1240 m. Para o visitante que chega ao centro urbano, o ponto mais baixo do município localiza-se na região da estação ferroviária, o que foi crucial para a história local. Itariri tem 17.598 habitantes, pela contagem do IBGE de 2020. Em seus arredores, estão rios e cachoeiras de fácil acesso, garantindo belas paisagens para as lembranças, os passeios e as máquinas fotográficas dos turistas e também proporcionando a todos uma oportunidade rara de apreciação do que ainda resta do bioma da Mata Atlântica na costa paulista. O potencial para a prática de esportes de natureza fez de Itariri palco de corridas de aventura.
 

Destaque para a Pedra Cara do Macaco, um dos locais mais indicados para praticantes de rapel, com trilha de 980 m


 
Os roteiros de turismo receptivo são realizados na área rural de Itariri, há trajetos de aproximadamente nove quilômetros, onde os visitantes têm direito a banho em rios e em cachoeiras com águas cristalinas. Para o turista que curte o ecoturismo, há garantia de belas paisagens e a experiência rural e natural, com grau médio de dificuldade, em percursos de sete horas de passeio. Com várias opções de cachoeiras e os poços, as atrações para os visitantes que chegam à cidade são todas voltadas para natureza, aproveitando a boa parte da reserva da Juréia-Itatins, que se encontra em Itariri. Entre os muitos rios, o do Azeite é um grande destaque, sendo próprio para banho e a maioria das trilhas fica no bairro Igrejinha, não muito distante do centro urbano.

Para realizar as trilhas, que em sua maioria são de nível fácil e médio, os turistas que chegam a Itariri podem contar com monitores designados pela prefeitura local. Entre as cachoeiras, a das Sete Quedas é uma das mais bonitas e conhecidas da cidade, tem piscinas naturais, é perfeita para a prática de rapel e o acesso a ela tem quatro quilômetros de trilha. Já a Cachoeira da Pedra da Moça é também muito procurada e não perde nada em beleza e piscina natural. Outras cachoeiras de Itariri são a da Italiana (em propriedade particular), a do Salto (de 15 m de altura, a nove quilômetros do centro da cidade, para esportes radicais), enquanto a Pedra Cara do Macaco é um dos locais mais indicados para os praticantes de rapel, com trilha de 980 m.


Turistas utilizam a Pedra da Moça como trampolim para se atirar na piscina natural com mais de 3 mil metros quadrados
 
Curiosidades


• Itariri, em tupi-guarani, significa “pedra miúda” onde (ita=pedra e riri=miúda) ou, ainda, para outros especialistas, pode significar “pedras que rolam”, onde riri possui esse significado, “que rolam”.

• O topo da Pedra Cara de Macaco, em Itariri, está a 600 m de altura e proporciona uma vista do vale em que se encontra a cidade.

• A Cachoeira do Salto é destino certo para amantes de ecoturismo, para praticantes de boia-cross, cascading e tirolesa, a nove quilômetros do centro da cidade.

• Além das cachoeiras, Itariri tem rios que valem a pena a visita, como o Ganhanhã, o Cabuçu e o Rio do Azeite.

• A construção da Estrada de Ferro Santos-Juquiá, em 1914, mudou a história de Itariri, sendo que uma estação ferroviária foi fundada na cidade, e a partir dela, deu-se o desenvolvimento urbano local.

• Com o nome de Itariri, o município foi criado em 1948, através da Lei nº 233 e é formado pela sede e pelo distrito de Ana Dias.



Como chegar

Para ir até Itariri, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-160 (Rodovia dos Imigrantes) até a saída 57-A e a SP-055 (Rodovia Padre Manoel da Nóbrega) até a saída km 366.





Mais informações: www.itariri.sp.gov.br