Itu

“O Brasil é grande, mas eu sei que Itu é maior”, assim encerrou o seu discurso o então ministro das Comunicações Higino Corsetti, em 1973, quando um Orelhão gigante foi instalado na Praça da Matriz, em Itu, que se localiza a 100,5 km de São Paulo. Medindo sete metros de altura, o Orelhão, além de ser um dos principais atrativos ituanos, é também um dos responsáveis pela fama da estância turística como “a cidade dos exageros”. O outro é, sem dúvida, o comediante ituano Francisco Flaviano de Almeida, mais conhecido como Simplício que, em seu quadro no programa “A Praça da Alegria”, na extinta TV Tupi, gabava-se de que tudo era grande em sua cidade. Foi assim que Itu desabrochou para o Turismo no País, o que aprendeu a fazer muito bem.

Os números de Itu são mesmo grandes. A começar pela população local, composta por 175,6 mil habitantes (pelo IBGE de 2020) e pela quantidade de atrativos, seja em museus, igrejas, fazendas e variedade de hospedagens, a cidade não poupa esforços. E não é para menos, pois em termos de estrutura e opções de lazer e descanso, Itu possui fazendas totalmente prontas para receber turistas por um fim de semana, bem como áreas de camping e pousadas. A maior parte dessas propriedades situa-se à beira das rodovias que margeiam a cidade, algumas são muito antigas e abertas à visitação. É o caso da Fazenda Concórdia que, fundada em 1595, possui mobiliário antigo, da época dos bandeirantes, e que hoje recebe pessoas para turismo rural.

 


A Fonte Luminosa possui muita flora e um dos mais belos designs da cidade, sendo palco para espetáculos

Itu é também conhecida como a “Roma Brasileira”. A estância abriga o melhor do Barroco paulista e somente na região central, destacam-se as construções que fazem parte do turismo religioso ituano, como a Matriz de Nossa Senhora da Candelária (de 1780), a Igreja do Bom Jesus e o Santuário Nacional do Sagrado Coração de Jesus (1765), a Igreja e o Colégio de Nossa Senhora do Patrocínio (1820), a Igreja e o Seminário de Nossa Senhora do Carmo (1782), a Igreja de Santa Rita de Cássia (1728) e a Igreja de São Benedito (a mais nova de todas, de 1908). Muitos monumentos religiosos ituanos têm mobiliário preservado, obras sacras e pinturas que remontam à época dos pioneiros, uma vez que Itu faz parte da Região Turística Roteiro dos Bandeirantes.

O visitante vai logo perceber que chegou a uma cidade que teve importância crucial na história do País. Não só as fazendas de café, ligadas à economia exportadora por quase dois séculos, mas o Museu Republicano, onde houve a Convenção de Itu (em 1873), em pleno Segundo Império, que acabou lançando as bases para a futura República. Há em Itu atrativos para todos os gostos e idades. A Cidade da Criança é um complexo de lazer infantil com playground, lago, minicidade e outras atrações, enquanto no comércio, há lojas no centro em que se vendem artigos em tamanho exagerado, pois a fama da cidade diz que tudo nela é grande. Fama que o Orelhão da Praça Matriz eterniza, tal qual um semáforo gigante, nas ruas de Itu, que funciona de verdade. 



Os visitantes vão a Itu principalmente por conta dos exageros que fazem a fama da cidade, entre eles o Orelhão Gigante

 
Curiosidades

• Segundo pesquisadores, há duas origens no tupi-guarani para o nome Itu. Uma delas é o termo “Utu-Guaçu” (cachoeira grande). A outra diz que o topônimo vem do termo “ytu” (cachoeira).
• Há mapas do século XVII que mostram a presença de Itu na história brasileira, em pleno Caminho de Peabiru, saindo da vila de São Paulo de Piratininga. Itu seria uma paragem para bandeirantes, na estrada que levava ao Império Inca.
• Itu foi palco da primeira Convenção Republicana do país, em 1873, a chamada “Convenção de Itu”, dando início ao movimento republicano brasileiro, com a criação do PRP (o Partido Republicano Paulista). Daí Itu ser chamada de “o Berço da República”, que eclodiu somente em 15 de novembro de 1889.
• A região de Itu começou a ser povoada em 1604, quando bandeirantes receberam terras nos campos de Pirapitingui. Em dois de fevereiro de 1610, aniversário ituano, foi fundada a capela de Nossa Senhora da Candelária, a padroeira da cidade, e em torno dessa construção o povoado cresceu. 
• Um filho ilustre de Itu é o pintor José Ferraz de Almeida Júnior (1850-1899), um artista que prezava a valorização da cultura do interior paulista, expressa nos tipos populares que retratava. Sua obra é reconhecida pela crítica e apontada como marco divisório para a arte nacional.

Não deixe de ir

• ...à Praça dos Exageros, um parque temático que possui diversos objetos em tamanho gigante, retratando a fama da cidade. São peças enormes como um jogo de xadrez, joaninhas, formigas, um jogo de lápis, um interfone, uma trena em formato de escorregador e, entre as atrações, estão bonecos do personagem Simplício, de “A Praça da Alegria”. (Rua José Maria dos Passos, 200, na Vila Padre Bento)
• ...à região da Praça Padre Miguel, no centro de Itu, pois nas ruas do entorno há lojas que vendem produtos em formato gigante.
• ...à Cidade da Criança, que foi inaugurada em 1986, um local para as crianças curtirem o dia em playgrounds, com brinquedos os mais diversos para as mais variadas idades. Há Banco de Areia, Casa do Tarzan, Minicidade, lanchonete, banheiros masculino e feminino, coreto para apresentações infantis e outros atrativos. (Rua França, 102 – Vila Roma Brasileira)
• ...ao Museu Republicano “Convenção de Itu”, cujo prédio, em 1867, pertencia à família Almeida Prado. Nele, realizou-se a 18 de abril de 1873 a reunião que efetivou as bases para a República, o que ficou conhecido como a “Convenção de Itu”. Em 1923, no cinquentenário do evento, o então presidente Washington Luiz mandou transformar o prédio em museu, por causa do acervo histórico ligado aos republicanos e à memória de Itu. (Rua Barão de Itaim, 67 – Centro)

Como chegar

Para chegar até Itu, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 78 e a SP-075 (Rodovia Archimedes Lammoglia) até a saída 30-A.

 
Mais informações: www.itu.sp.gov.br/turismo