Jarinu

Cidade bucólica e aconchegante, Jarinu conta com uma população de 30.617 habitantes, segundo estimativa do IBGE/2020, em meio a vales, rios, lagos e chácaras, muito visitada principalmente por paulistanos que procuram sossego, sem abrir mão de conforto. Distante 73 km da Capital, faz parte do Circuito das Frutas, juntamente com outras nove cidades vizinhas, com destaque para os morangos, poncãs, laranjas, pêssegos, ameixas e uvas. Todos os anos, nos meses de junho e julho, juntamente com Atibaia, Jarinu realiza a Festa do Morango. Estes dois municípios somam 150 produtores da fruta e três milhões de pés de morango. Bom saber que dentre todos os povos que se fixaram no Brasil, os italianos foram os que mais se integraram como um todo. A influência desses imigrantes é tão forte que muitas vezes, na região do Circuito das Frutas, parece que estamos no interior da Itália. 


Localizada na Aglomeração Urbana de Jundiaí, a cidade é detentora de uma das maiores produções de cogumelos do Brasil, por isso vale a pena visitar aa zona rural local, a menos de 10 km do centro, para conferir o cultivo desses fungos e adquirir estes e tantos outros produtos locais. Também na parte rural de Jarinu é possível conhecer vinícolas, muitas com adegas, restaurantes e até com visitas monitoradas e degustação de vinhos. Outro bom atrativo é o Parque Ecológico Pauletto, uma área ainda preservada de Mata Atlântica, com várias trilhas para caminhadas entre as árvores. Com sorte, pode-se ainda ver macacos bugios ou pelo menos ouvir os gritos deles. Fica na Estrada Luiz Pauletto, s/n - Água Preta.
 

 


O morango é a grande estrela de Jarinu, cidade que integra o Circuito das Frutas, originando grande afluxo de visitantes


Em Jarinu, que é MIT – Município de Interesse Turístico, desde março de 2019, também se produz cachaça artesanal cuja qualidade é reconhecida nacionalmente e vinhos artesanais em várias adegas de vinho. Vale ressaltar que a atividade turística deste destino é diversificada, e os jarinuenses orgulham-se em faz parte do Circuito entre Serras e Águas, juntamente com outros 12 municípios situados no entorno das Rodovias Fernão Dias e Dom Pedro. Cenário deste circuito passa pelas serras que são um convite à aventura. Caminhadas, trilhas, escaladas, cavalgadas, contemplação são apenas algumas das opções que os visitantes têm para entrar em contato com a natureza, e respirar ar puro. As águas do circuito são responsáveis pelo abastecimento de 60% da região metropolitana de São Paulo. E esta importância vai além, pois é nessas águas que moradores e turistas buscam lazer e aventura.



Quando o Turismo Religioso está em pauta, Jarinu faz sempre uma grande festa, em 16 de julho para a Padroeira da cidade em homenagem a Nossa Senhora do Carmo, Igreja Matriz no Centro. Nesta festa, além de boa gastronomia com destaque para o frango com polenta, tem leilão de vários itens, além de brincadeiras para a criançada. Há também a Igreja Nossa Senhora Aparecida, uma bela igreja simples e antiga, um pouco maior que uma capela e fica entre árvores e gramados bem cuidado e abre somente em ocasiões especiais. Fica na praça de mesmo nome. Destaque também para o Centro Histórico e Cultural, uma das mais antigas construções da cidade que  está totalmente restaurada. Lá se pode obter mais informações sobre a história, a cultura e o turismo de Jarinu. Lá funciona o Centro de Informações Turísticas. Tudo no Centro.
 

 

Jarinu também faz parte do Circuito entre Serras e Águas com caminhadas, trilhas, escaladas, cavalgadas e muita natureza

 

Conta a história que em 1650, já havia muitas fazendas na região conhecidas por Caioçara. Em 1730, o atibaiano Lucas de Siqueira Franco é investido no cargo almotacé, tomando parte ativa na política de São Paulo. Este cidadão exerceu grande influência em Atibaia e em Campo Largo (Jarinu). Em 1786, Lorenço Franco da Rocha, o fundador de Campo Largo (Jarinu), é nomeado Capitão desse bairro. Em 1844 a Freguesia de Campo Largo (Jarinu) passa pertencer a Jundiaí. Em 1846, volta a pertencer à Atibaia. Em setembro de 1911 o distrito passou a se chamar Jarinu que, em tupi significa palmeira preta. A data de emancipação político-administrativa de Jarinu aconteceu em 17 de abril de 1949.

 

Como chegar

 

Para ir até Jarinu, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-330 (Rodovia Anhanguera) até a saída 38, a SP-354 (Rodovia Edgard Máximo Zamboto) até a saída do km 70 e a SP-070/354, acesso a Jarinu.


 

Mais informações: www.jarinu.sp.gov.br