Joanópolis

Na Casa do Artesão, ao lado da Igreja Matriz, os turistas podem encontrar peças de artesanato produzidas por moradores locais, e as que mais fazem sucesso, dentre elas, estão ligadas ao lobisomem, figura que ganhou até uma capital só para ele: Joanópolis. Mas, para além dos monstros noturnos que fazem a alegria e a curiosidade de visitantes em trilhas no meio da madrugada, essa estância turística, vizinha de Minas Gerais e a 120 km de São Paulo, guarda tesouros e segredos bem no meio das matas. São várias cachoeiras, algumas de inigualável beleza, inclusive uma das duas maiores quedas d’água do território paulista, em plena Serra da Mantiqueira. Joanópolis, uma cidade para muitos passeios e com bom número de pousadas e hotéis, é turismo certeiro.

Charmosa, tranquila e com clima agradável, Joanópolis tem 13,3 mil habitantes (pela contagem do IBGE de 2020) e pertence à Região Turística Entre Serras e Águas. O nome faz jus. Entre os principais atrativos, está a enorme Cachoeira dos Pretos, de 154 metros de altura e que pode ser vista de bem longe, uma vez que se localiza a 18 km do centro. É considerada a segunda maior do Estado de São Paulo e uma das maiores do Brasil, dispõe de infraestrutura para atividades de aventura, sendo que ali se pode praticar rafting, boia-cross e caiaque. A trilha que leva à queda d’água é de nível fácil, mas recomenda-se ao visitante que vá com sapato fechado. A paisagem é lindíssima, o local é bem estruturado e ainda há um restaurante com comida caseira.

 


Joanópolis é a capital do lobisomem e virou cenário de reportagens, documentários e programas de televisão

Os turistas também vão gostar de conhecer outros recantos repletos de serra, água e pedras em Joanópolis. A Serra do Lopo, por exemplo, é um dos locais favoritos para os praticantes de trekking, rapel, mountain bike e asa delta, tem paisagens deslumbrantes, com mirantes e cachoeiras e praticamente está na divisa entre Minas Gerais e São Paulo. É um passeio para usar repelente, mochila com alimentação e água e sapatos adequados. Nesta serra, está também o Gigante Adormecido, o morro mais famoso do lugar, de 1725 m de altura, que parece ter a forma de um homem deitado, sendo possível ir até o topo dele a pé. Cachoeiras como a da Iponina, a dos Pires e a Escondida são outras opções de passeios em meio a essa porção da Mata Atlântica.

Os restaurantes da cidade oferecem até a tradicional cozinha mineira, com o melhor da culinária do estado vizinho. Já a Praça da Igreja Matriz (no centro de Joanópolis) atrai as pessoas para eventos culturais como, por exemplo, a grandiosa festa junina, que traz à tona a mesa caipira, a cultura da roça e suas tradições. Nas lojas locais, vendem-se queijos, cachaças e doces caseiros e há restaurantes com comida caseira. O centro da estância tem ruas largas e quarteirões geométricos e carrega o ar de uma típica cidade do interior. Sem falar na venda de souvenires, camisetas, vinhos, pingas, bonecos e brindes com a imagem do lobisomem, no Turismo do Imaginário em Joanópolis, cuja fama se espalhou como um xodó que não mete medo, mas traz dividendos.


 


A prática da pesca faz parte de Joanópolis que integra a Região Turística Entre Serras e Águas.

Curiosidades

• A denominação Joanópolis significa “Cidade de João” e surgiu em virtude do nome do padroeiro da cidade, São João Batista. Foi adotado por lei estadual em 18 de dezembro de 1917.

• A região onde hoje está Joanópolis era conhecida dos bandeirantes e tropeiros como local de paragem, já nos séculos XVII e XVIII. Em 1878, no terreno do pioneiro Domingos Fernandes de Almeida, ergueu-se uma cruz para festejar São João Batista, no dia 24 de junho. Em agosto de 1895, foi elevada à condição de vila com a denominação de São João do Curralinho. Foi elevada a município em dezembro de 1906.

• Para Joanópolis ser a capital do lobisomem, tudo começou em 1983, quando a folclorista Maria do Rosário Tavares de Lima defendeu uma tese para a Escola do Folclore de São Paulo com o tema “Lobisomem: Assombração e Realidade”, que virou livro. Em 1998, a campanha de uma famosa rede de lanchonetes atiçou a produção de camisetas e produtos com a figura do lobisomem e a fama da cidade deslanchou.

• Em 1998, foi criada a Associação dos Criadores de Lobisomem (A.C.L.), em Joanópolis. Com o sucesso da “lobomania”, a cidade virou cenário de reportagens, documentários e programas de televisão.

• No dia 23 de janeiro de 2001, Joanópolis foi elevada à categoria de Estância Turística, através de lei estadual.

Não deixe de ir

1. ...às cachoeiras de Joanópolis, como a dos Pretos (a 18km do centro), inserida numa Área de Proteção Ambiental (APA) e seu nome vem do português Preto de Oliveira, dono daquelas terras. A 7,5km dessa cachoeira, fica a da Iponina, cuja estrada no meio da mata, para chegar até ela, é cercada de bromélias.

2. ...a outras cachoeiras, como a Escondida, a 10km do centro, ideal para levar crianças por ter pouca profundidade. A 3,7 km do centro está a dos Pires, com várias quedas d’água, com áreas cobertas e outras abertas ao sol. Há uma Eco Fazenda onde o turista encontra tirolesa, passeio de jipe, pedalinho, passeio a cavalo e outras atividades.

3. ...ao morro chamado Gigante Adormecido, que fica localizado na Serra do Lopo, a 12 km do centro da cidade, um local bom para caminhada, montanhismo e esportes radicais. De lá de cima, podem ser vistos o Vale do Paraíba e a região Bragantina, um dos mais belos visuais da região.

4. ..à represa Jacareí/Jaguari, localizada na porção sudoeste de Joanópolis, a quatro quilômetros do centro, um local próprio para pesca e esportes náuticos.

Como chegar:

Para ir até Joanópolis, saindo de São Paulo, é preciso acessar a BR-381 (Rodovia Fernão Dias) até a saída 2, a SPA-003/010 (Rodovia Entre Serras e Águas) e a SP-036 (Rodovia José Augusto Freire)




 
Mais informações: www.joanopolis.sp.gov.br/portal-turistico