Lindoia

Para os turistas que têm sede de passeios, a estância turística de Lindóia, localizada a 112 km de São Paulo, oferece em atrações muito mais do que 40% do abastecimento de água mineral do País. A cidade é cortada pelo Rio do Peixe, que serpenteia por sua zona urbana, sendo explorado pelo turismo de aventura e famoso por suas belas cachoeiras (Salto, dos Costas e Fecho) e ilhas (do Padre e dos Amores), isso sem falar no Lagão, o Grande Lago Lindóia, com seus cinco quilômetros de extensão a oeste do centro urbano e que é referência regional no turismo esportivo. Com seus pouco mais de oito mil habitantes (pelo IBGE de 2020), Lindoia faz parte do Circuito das Águas Paulista com outras oito cidades e traz surpresas naturais para muito além do seu principal produto, a água.

A “Capital Nacional da Água Mineral”, como Lindóia é conhecida, guarda diversões garantidas para todas as gerações de visitantes. Há lugares para caminhadas, quiosques, atividades náuticas, piqueniques, apreciação de garças em berçários e há fontes com água mineral espalhadas em praças nos seus diversos bairros. Tamanha a fama internacional adquirida pela água lindoiana, que a NASA a escolheu para matar a sede dos astronautas da missão Apolo, aqueles que pisaram na Lua. Mas nem só de água vive o turismo de Lindóia. A estância exibe uma gama de atrações que ficam abertas para visitação, como é o caso da Praça da Matriz (a Igreja Nossa Senhora das Brotas, padroeira local), que mantém um coreto central que também caracteriza as praças tradicionais do interior.

 


A Ponte de Arco foi construída no final dos anos 1930 sobre o Rio do Peixe e comporta até 40 toneladas

Entre os produtos do Turismo Rural de Lindoia, que se encontra em ascensão, os visitantes que vão às propriedades rurais da região irão conhecer e degustar vinhos, sorvetes artesanais, os ovos caipiras, o leite, o queijo, a goiabada, as cachaças diretamente dos alambiques, o artesanato local e a culinária típica do interior paulista. Em relação à gastronomia oferecida na cidade, o turista vai desfrutar especialidades das cozinhas mineira, paulista, europeia e outras. A oferta de restaurantes, padarias, sorveterias e lanchonetes compõe um roteiro gastronômico bem amplo, bem como de hospedagem. O comércio de malhas de fabricação própria faz do turismo de compras uma atração à parte, com diversas lojas que vendem roupas de estilo e bom gosto para todas as estações do ano.

Para os turistas adeptos do turismo esportivo e praticam jet sky, trekking, wake board (esqui aquático puxado por lancha), pedalinho, pesca esportiva, mountain bike, natação e motocross, o Lagão é referência regional, sendo o equipamento turístico mais exuberante de Lindóia. Cercado pela natureza, o Grande Lago encanta pela beleza desde quando a obra foi fundada, na década de 1970, sendo local recomendado para caminhadas, piqueniques, apreciação da fauna e da flora e observação de pássaros. Próximo ao lago, está o Recinto de Exposições e Lazer “Antônio Toledo”, onde se realizam eventos, exposições e shows, com capacidade para três mil pessoas, estacionamentos, lanchonete e boa recepção ao público. Há muita água e muita sede de turismo nessa estância paulista.  


 


O Laguinho de Lindóia tem 20 mil metros quadrados de espelhos d’água e diversões para toda a família
 

Curiosidades

• Em 1930, o cantor lírico Celestino Paraventi foi o primeiro a gravar em 78 rpm uma valsa composta pelo famoso compositor Zequinha de Abreu, intitulada “Tardes em Lindóia”.
• O nome da cidade, em tupi guarani, tem como significado “água quente, salubre e insípida” ao beber ou, ainda, “rio que se contém” (ou que não transborda), numa mistura entre fonemas indígenas e sílabas de influência portuguesa.
•  O sinuoso Rio do Peixe, que cruza feito uma serpente o núcleo urbano de Lindoia e segue o caminho de rodovias, nasce em Minas, corre por 147,2 km, adentrando pelo território paulista.
• No início do século XVII, a região havia sido dividida em sesmarias, com a entrada de bandeirantes que penetravam sertão adentro e combatiam tribos indígenas ferozes. O povoado teve início na paragem do ribeirão de Água Quente. Já no século XIX, várias famílias se estabeleceram nessas terras, tendo sido instalada a Paróquia de Nossa Senhora das Brotas do Rio do Peixe em 1898.
• Em 1938, o Distrito de Lindóia é elevado à categoria de Município e Estância, momento em que o Bairro das Águas Quentes passou a ser Distrito de Thermas de Lindóia (hoje, Águas de Lindóia), embora em 1953, Lindóia voltou a ser Distrito de Águas de Lindoia. Somente em 1965, o Município de Lindóia se emancipa.

Não deixe de ir

• ...ao Recinto de Exposição e Lazer “Antônio Toledo”, um espaço total de dez mil metros quadrados, com capacidade para 3.000 pessoas, que é próximo ao Grande Lago, tem um centro de exposições (de 2.500m²), estacionamento, bar, lanchonete, camarins, quadras esportivas e área externa para feiras e congressos. (Av. Francisco Gomes 105)
• ...ao Cristo Redentor e ao Morro do Mosquito, onde há vista para toda a região de Lindóia. A estátua do Cristo foi construída em 1960, passou por reformas em 2002 e de lá de cima, é possível ver parte da Serra da Mantiqueira e toda a região. Do Morro do Mosquito, o mais alto, de 1.400m de altura, o turista consegue avistar a região toda. (R. Cristo Redentor, s/n, Jardim Redentor)
• ...ao Monumento da Garrafa que, desde 1978, tem sido o símbolo da cidade e do principal produto local, a água mineral. Turistas tiram foto perto da “Garrafona de Água Mineral”, como a chamam. Ali também está um marco que homenageia os pioneiros que emanciparam o município, em 1965. (confluência da Rodovia Engenheiro Geraldo Mantovani com a Avenida Rio do Peixe e a Rua Vinte e Um de Março)

Como chegar

Para ir até Lindóia, saindo de São Paulo, é preciso acessar a BR-381 (Rodovia Fernão Dias) até a saída 22, a SPA-021/010 (Rodovia Farmacêutico Francisco de Toledo Leme), Vias urbanas de Bragança Paulista e a SP-008 (Rodovia Capitão Bardoíno) e a SP-147 (Rodovia Octávio de Oliveira Santos).




 
Mais informações: www.turismolindoia.tur.br