Martinópolis

Localizada no oeste paulista, Martinópolis está a 570 km da capital do estado e é um dos bons lugares para curtir os dias quentes na região. Com uma população estimada em 26.628 pessoas, segundo IBGE/2020, o município pertence ao Circuito Turístico Oeste Rios e é muito conhecido por suas represas e balneários que ficam em torno do Rio Paranapanema. A cidade oferece aos turistas a oportunidade de desfrutar belas praias artificiais com toda a infraestrutura necessária, além de proporcionar opções desde a prática de esportes náuticos até um simples passeio em família para observar as paisagens desta cidade interiorana.

Martinópolis tornou-se MIT (Município de Interesse Turístico) em maio de 2017 e além dessas opções de lazer, a cidade também é movimentada pelo Turismo Religioso e eventos que acontecem no clube e no balneário municipal. A cidade abriga a única igreja do Brasil em homenagem à Santa Bibiana, que se destaca por sua arquitetura e riqueza de detalhes. Trata-se de uma mártir que foi perseguida na época do Império Romano, é protetora dos epiléticos, da insanidade, depressão e da dor de cabeça, é anualmente homenageada no dia dois de dezembro, quando foi decretado feriado municipal em sua causa. Nesse dia ocorrem diversas manifestações de fé, celebração de missas e encontros religiosos.

A construção da atual Igreja Santa Bibiana começou em 1936 e só terminou em 1939, tendo sido inaugurada no Dia de Natal, pelo Padre João Schneider. Ela foi construída sobre a capelinha que existia no local, e que estava pequena para a população crescente da cidade. As pinturas do teto e das laterais foram feitas por Francisco Ramirez, de Avaré, e depois foram restauradas em duas oportunidades, a última em 2006, pelo artista martinopolense Sérgio Genaro.

 
 
 

O Balneário Municipal, localizado na Represa Laranja Doce, tem boa infraestrutura e um calçadão de 1,4 km de extensão
 

Para além do Turismo Religioso, o grande destaque na região é a Represa Laranja Doce, composta pelo Balneário Municipal e praias particulares. Durante os 12 meses do ano, a represa é muito frequentada por turistas e também moradores que prestigiam e se encantam com a beleza do local. No período entre outubro até março, quando o verão está no auge, os flamboiãs (árvores nativas da ilha de Madagascar)) majestosos em toda a orla explodem em flores vermelhas e a Represa Laranja Doce fica em ebulição. Segundo levantamento feito pela prefeitura, no pedágio da Represa, cerca de 20 mil pessoas frequentam o local aos finais de semana e este local já  sediou Campeonato Brasileiro de Jet Ski e carnaval temporão, com a presença até de trio elétrico.

O Balneário Municipal, localizado na Represa Laranja Doce, conta com nove lanchonetes distribuídas em toda a orla, um calçadão de 1,4 km de extensão, 24 quiosques cobertos e equipados com churrasqueiras, que podem ser utilizadas gratuitamente, mesas de concretos e pias comunitárias. No local, são realizados eventos esportivos e pré-carnaval, organizados pela Prefeitura, além dos bailes do Hawaí e de São João, promovidos pelo Clube Recreativo. Com mais de cinco quilômetros de orla verde, Martinopólis possui uma área de camping com banheiros, mais de 20 quiosques equipados com churrasqueiras e mesas, além de total infraestrutura para receber os turistas. Além disso, a cidade também possui diversas opções para hospedagem como chalés, hotéis, ranchos, entre outros.

Para completar um roteiro turístico e histórico, interessante visitar a Estação Ferroviária, o primeiro edifício da cidade, que apesar de atualmente estar parcialmente desativada, foi de extrema importância para o desenvolvimento da cidade. Hoje, nos trilhos só correm alguns trens cargueiros em direção a Presidente Prudente. No local foi construído um pequeno Museu, onde estão expostos alguns objetos históricos e fotografias antigas. Além disso, a biblioteca pública municipal também está localizada ali. Ambos abertos ao público.



 

Cultura e história na Casa das Artesãs, fundada em 2007, com muitas peças diversificadas à disposição dos visitantes
 

Além das belas praias e balneários, este MIT também possui muita cultura e história para contar como, por exemplo, a Casa das Artesãs, fundada em 26 de maio de 2007, através do trabalho realizado pelo Projeto Empreender, da Associação Comercial em parceria com o Sebrae e a Prefeitura de Martinópolis. Hoje, existem dezenas de artesãs cadastradas na casa, e cerca de mil peças diversificadas, à disposição dos visitantes do local. A cidade também se destaca com os tradicionais eventos turísticos: Carnaval Martfolia (fevereiro), Concurso de miss Martinópolis (maio) Festa das Barracas e Comidas Típicas (junho), além do Aniversário da cidade (junho). Bom para o turismo. Este destino também é conhecido como a cidade do Rei do Algodão, devido às atividades agrícolas que, ainda hoje, se constituem na força propulsora da economia do município, basicamente, sustentada pela Agricultura e pela Pecuária.


Como chegar

Para ir até Martinópolis, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 315-B, a SP-225 (Rodovia Eng João Baptista Cabral Rennó), a SP-327 (Rodovia Orlando Quagliato), a SP-270 (Rodovia Raposo Tavares) até saída do km 447-A, a SP-284 (várias denominações) até a saída do km 548 e Via de Acesso José Biazini.

 
Mais informações: www.martinopolis.sp.gov.br