Monte Alto

Com a descoberta de fósseis em ampla área nos arredores de Monte Alto, Região Metropolitana de Ribeirão Preto, na década de 1980, a cidade passou a ser uma das que mais sistematizaram a busca por vestígios pré-históricos no estado. Por isso o Museu de Paleontologia e o Museu de Arqueologia são importantes atrativos da cidade, distante 356 quilômetros da Capital.

O Museu de Paleontologia possui um acervo de aproximadamente 1.300 exemplares de fósseis de répteis e de outros animais pré-históricos, a maior parte proveniente de escavações realizadas na região, assentada sobre rochas sedimentares do período Cretáceo Superior. Conta com laboratório de conservação e restauro e com uma biblioteca especializada e passou em 2018 por reformas. São 85 itens no acerto, com os destaques por conta do fóssil do Titanossauro, dinossauro herbívoro de grande porte atingindo cerca de 12 metros de comprimento e 10 toneladas. O objetivo principal do museu é divulgar a ciência da paleontologia e geologia entre turistas e estudantes, incentivando-os à pesquisa, bem como promover palestras e debates a respeito do assunto com foco na preservação do ambiente e na propagação do ecoturismo.


 


Museu de Paleontologia possui um acervo de  1.300 exemplares de fosseis de repteis e de outros animais pré-historicos
 

A população de Monte Alto estimada pelo IBGE/2020 é de 50.772 pessoas e na história da cidade há um fator de orgulho para seus habitantes: é considerada a cidade-berço e a primeira cidade-sede dos Jogos Abertos do Interior, a maior competição esportiva amadora da América Latina realizada pelo Governo do Estado de São Paulo. Daí a homenagem ao Ginásio de Esportes, localizado na região Oeste da Capital, que leva o nome do criador da competição: Baby Barioni.

Bom ressaltar que Horácio Baby Barioni fundou os jogos em 1936, em Monte Alto. Descendente de italianos, foi um dos primeiros cronistas esportivos do Estado. Desde jovem, atuou na promoção de espetáculos desportivos. Aproveitando essa experiência, Baby idealizou a realização de um encontro esportivo de grande alcance. Por iniciativa própria, enviou ofícios a centenas de prefeitos de cidades do interior do Brasil, convidando-os a participar do evento. Assim, desde 1936 os Jogos Abertos seguem movimentando o interior e vez ou outra revelando talentos do esporte.


 


O Turismo Religioso local passa pelo Mausoleu da Menina Izildinha que é um símbolo da fé do povo de Monte Alto.
 


E o turista que visitar Monte Alto, além de museus e do esporte, terá um cenário peculiar com serras, cachoeiras e trilhas, totalizando mais de 20 quedas d’água, 50 quilômetros de chapadas de altos, paredões formando vales e morros, popularmente chamados de serras. As Serras Dona Ana e a Serra do Barreiro, por exemplo, possuem matas nativas que apresentam várias árvores de grande porte, destacando-se os ipês roxos, amarelos e brancos, perobas, aroeiras, jequitibás e angicos. Vários animais, como Macacos, Tamanduás, Gatos do mato e Quatis.

O Turismo Religioso também é significativo, com o Mausoléu da Menina Izildinha e o Santuário da Virgem Montesina. A Menina Izildinha, chamada de “Anjo do Senhor”, é símbolo da fé do povo de Monte Alto. Seu nome verdadeiro era Maria Izilda de Castro Ribeiro. Nasceu em Póvoa de Lanhoso, Guimarães – Portugal, e faleceu em 1911 antes de completar 14 anos. Em 1950, seu irmão, Castro Ribeiro, industrial em Monte Alto, decidiu trasladar o corpo para o Brasil. E assim, 39 anos após sua morte, quando foi feita a exumação do cadáver para vir ao Brasil, esperava-se encontrar apenas cinzas, mas encontrou-se o corpo em perfeito estado, assim como as suas vestes e as flores que enfeitavam a urna funerária da menina. Logo, ganhou a fama de ser santa.

Por sua vez, o Santuário da Virgem Montesina, no Distrito de Aparecida de Monte Alto, fica a 20 quilômetros do centro da cidade. Teve a pedra fundamental colocada em 1925, suas obras iniciadas em 1929 e concluída em 1952 e devido ao fortalecimento da tradição e aumento do número de romeiros, está sendo ampliada em estilo gótico. Trata-se da única devoção à Virgem Maria, no mundo, com esse título. Tanto o Mausoléu quanto o Santuário recebem milhares de peregrinos todos os anos.

E a história deste município começa pelo sonho de um morador da vizinha cidade de Jaboticabal, que tudo havia perdido em um incêndio e assim surgiu a Cidade Sonho, na verdade Monte Alto. Porfírio Luís de Alcântara Pimentel era farmacêutico e cirurgião do imperador Dom Pedro II e um dia sonhou com um planalto extenso tomado por um cafezal. Vislumbrou também que ao planalto dominava um monte, no alto do qual havia uma igreja.

Em busca desse lugar ele partiu com o filho Antônio e com amigos. Embrenhou-se por terras desconhecidas, até encontrar o planalto e o monte com os quais havia sonhado. Venceu o monte e, ao chegar ao topo, teve a certeza de que sonhara mesmo com aquele lugar. Então exclamou aos que o acompanhavam: “Aqui se chamará Bom Jesus de Pirapora das Três Divisas de Monte Alto”, em 1881. Após a fundação, os moradores foram erguendo suas casas, tornando realidade o desejo do fundador de construir a “Cidade do Sonho”. Em divisão territorial datada de 1995, o município é constituído de dois distritos: Monte Alto e Aparecida de Monte Alto.

Como chegar

O turista que sair da Capital em direção a Monte Alto deve acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) até saída 168, a SP-310 (Rodovia Washington Luís) até a saída 322, a SP-319 (Rodovia Thyrso Micali), a SP-333 (Rodovia Nemésio Cadetti) até a saída 140, a SP-323 (Rodovia José Della Vecchia) até a saída do km 15 e a SP-305 (José Pizarro) até a saída do km 18.

 
Mais informações: www.montealtosp.gov.br