Morungaba

“Lá na distância, entre montanhas, Morungaba se esconde. (...) Não há recanto mais calmo e nem cidade mais amiga que Morungaba. Tudo ali convida a sonhar.” - assim escreveu o professor Nicola Tortorelli sobre a cidade serrana cujo nome em tupi-guarani significa “terra boa”, ou simplesmente Morungaba, localizada a 103 km de São Paulo. Elevado a estância turística em 25 de julho de 1994, esse destino tem tradição de ter bom clima, belas paisagens e é também muito conhecido por seus doces artesanais. Morungaba é uma das dez cidades integrantes da Região Turística Circuito das Frutas e, assim, o turista pode encontrar iguarias como a bananada, a cocada com abacaxi, a laranjada e a goiabada cascão e tantas outras em suas muitas confeitarias. 

Mas não é só de doces que vive Morungaba, que tem quase 13,8 mil habitantes, pelo IBGE de 2020. O visitante vai encontrar no comércio local vários tipos de molho de pimenta, flor de sal, conservas, geleias e uma variedade de temperos, o que inclui especiarias como o cardamomo (que aromatiza pratos com arroz, pães, bolos, molhos, licores e carnes) e o zimbro (que é medicinal e serve como remédio caseiro para digestão, reumatismo, tendinite e outras doenças). O visitante também pode encontrar em Morungaba cachaças de diversas regiões do Brasil e licores à base de destilado. A cidade tem espaços para esportistas. Se cavaleiros frequentam centros equestres, motoqueiros e ciclistas podem desbravar as trilhas da zona rural. 

 


Via Sacra e o Cruzeiro, no cume de um dos morros da Serra das Cabras, tem-se uma bela visão da cidade e suas colinas
 

Assentada nas colinas suaves de um vale ao pé da Serra das Cabras, Morungaba é um convite à tranquilidade. Com uma topografia levemente acidentada, a cidade tem clima tropical de altitude, com temperatura média que varia entre 18°C e 26°C, uma vez que está inserida num sistema ecológico com muito ar puro. São ingredientes que fazem da cidade um ótimo destino para passar um dia diferente e com povo acolhedor. No início do século XX, a estância já era conhecida pelo clima excelente, por ter uma água melhor ainda (com propriedades tanto radioativas como medicinais) e uma tranquilidade para curar qualquer estresse. Hoje, devido à pouca distância que liga Morungaba à Capital, as rodovias (como as ruas da cidade) possuem trânsito bem intenso.

Passeando pela charmosa estância, o turista vai encontrar o Parque Ecológico Pedro Mineiro, com entrada franca e que fica localizado a menos de um quilômetro do centro morungabense. O atrativo tem 11 alqueires com muito verde, pista de skate de 252 m², mananciais próprios, lagos, área de mata nativa, queda d’água e relevo propício a caminhadas. Logo na entrada do Parque, que é um cartão postal de Morungaba, o visitante tem uma visão panorâmica da cidade. Já no centro urbano, está a Igreja Matriz Imaculada Conceição, inaugurada em 1898. Foi o proprietário Francisco Bueno de Aguiar que doou, no século XIX, o terreno para se erguer a Capela Nossa Senhora da Conceição de Barra Mansa, um dos antigos nomes da cidade.


 


Parque Ecológico Pedro Mineiro, 11 alqueires com muito verde, mananciais próprios, lagos, e relevo para caminhada


 
Para o viajante que chega a Morungaba, desde a entrada é recebido por um belo túnel de bambus na estrada. A cidade também é parada quase obrigatória para os motociclistas da região e, segundo eles, o trajeto até o destino possui muitas curvas, uma vez que se reúnem aos finais de semana nos cafés para se encontrar e comer petiscos como doces, bolos e salgados, além das tortas de banana. As doçarias locais não usam nem um tipo de corante ou conservante nos produtos que fabricam (doces cremosos e em barras, geleias, compotas, sorvetes artesanais, salgados e frutas cristalizadas), pois boa parte das matérias-primas são colhidas em pomares próprios. Os turistas agradecem. Morungaba é um destino acolhedor e belo, pleno de atividades e atrativos.

Curiosidades

•          Morungaba emancipou-se em 1965, tendo sido elevada à condição de estância em 1994. A data oficial da fundação do município é 29 de junho de 1888.

•          Na edição do jornal “A Reacção” do dia 24 de abril de 1919, dizia que os habitantes do distrito de Conceição de Barra Mansa promoveram um abaixo assinado, pedindo a mudança do nome para Morungaba (como “terra boa”), uma denominação mais representativa da beleza local.

•          Outra versão para o nome Morungaba, vem do tupi-guarani, querendo dizer “colmeia de morungas”, uma espécie de abelhas produtoras de um mel dulcíssimo.

Não deixe de ir

•          Há fazendas no entorno de Morungaba que oferecem não só almoços para toda a família, como também vilas hípicas para passeios a cavalo e pônei. Na gastronomia das fazendas, buffets com opções de pratos quentes e petiscos feitos no fogão a lenha. Nos passeios a cavalo, os visitantes são levados a outras fazendas e cachoeiras, além de terem aulas de equitação.

•          O Cruzeiro localizado no cume de um dos morros da Serra das Cabras é um local místico, de onde o visitante tem uma visão maravilhosa de todo o município e suas colinas. Além da paisagem, o lugar tem uma cruz com o Cristo crucificado, um monumento de cinco metros de altura, cercado pelas figuras da Mãe Dolorosa e de São João Evangelista.

Como chegar

O turista que sair de São Paulo, deve pegar a BR-050 (Rodovia dos Bandeirantes) até Campinas e tomar a SP-065 (a Rodovia D. Pedro I) até o trevo de Itatiba. Depois, é necessário pegar a SP-360 (Rodovia Constâncio Cintra) até Morungaba.

 
Para saber mais, clique em www.morungaba.sp.gov.br