Ouroeste

O município de Ouroeste, muito longe da capital, exatamente 601 km, possui potencial turístico diversificado de grande expressividade e integra a Região Turística Maravilhas do Rio Grande, já na divisa com Minas Gerais. Está localizada na Região Administrativa de São José do Rio Preto. Sendo considerado o maior município com concentração de atrativos do Noroeste Paulista, Ouroeste abriga belezas naturais muito procuradas pelos turistas, como a famosa Cachoeira de Jandaia e a Cachoeira do Veloso, ótimas opções para a prática do ecoturismo.  O cenário paisagístico do rio Grande é um dos locais mais visitados da região, pois forma piscinas naturais de água cristalina e é bastante utilizado por banhistas e pescadores.


Esta cidade que é Município de Interesse Turístico – MIT, desde 2018,   é privilegiada pela sua condição geográfica, geológica e arqueológica. As formações geológicas do basalto originário de lava vulcânica, a calha do rio, as ilhas que formam neste local, as corredeiras, cachoeiras, o Morro do Arara, os sítios arqueológicos, a pesca, proporcionam um conjunto para colocar o município como importante destino turístico.


Vale destacar que em 1997, Ouroeste ganhou destaque nacional e internacional após a descoberta de ossadas por pescadores ribeirinhos. Depois de constatada a importância dos achados pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) este MIT descobriu seu principal atrativo por meio da escavação e catalogação de 25 sítios arqueológicos datados de 500 a nove mil anos conforme exames comprovados com carbono 14. Os achados de três sítios arqueológicos ficaram sob a salvaguarda do município após a construção de um moderno museu com estrutura de primeiro mundo.

 
 
Visão panorâmica do Rio Grande que envolve a Prainha, Sítio Arqueológico, Ponte SP-MG e Usina Água Vermelha
 
O Museu Arqueológico Água Vermelha, nove mil anos de história, é o atrativo melhor estruturado da cidade atendendo e nele também funciona o CIT – Centro de Informações Turísticas oferecendo monitoria e visita guiada aos sítios arqueológicos e ao acervo do museu. Além de informações dos atrativos naturais, de alimentação e hospedagem da cidade que hoje tem uma população estimada, pelo IBGE/2020, de 10.539 pessoas. Ouroeste, através deste museu, mantém parceria com instituições de ensino como USP, universidades regionais, pesquisadores e escolas que levavam seus alunos para se aventurar pela história das civilizações paulistas.


O Turismo de Aventura também é intenso na cidade, uma vez que o visitante pode se aventurar pelas trilhas na mata que dão acesso aos sítios arqueológicos. Ao passar por formações rochosas poderá entender a geologia e a relação da ocupação do espaço pelas primeiras populações que ocuparam esta parte do Rio Grande. Estuda-se a possibilidade da construção de uma tirolesa, estações de arborismo e prática de esportes radicais como rapel e canoagem. Além disso, a pesca é favorecida pela fartura do rio. Adeptos dessa prática elegem o local como um dos melhores para pesca em correnteza, possibilitando mais emoção ao fisgar um peixe.


O diversificado turismo deste destino também engloba o Rural que pertence ao território municipal o povoado de Arabá. Localizado a 18 km do Município de Ouroeste tem um acesso privilegiado pela Ponte Rodoviária viária ao Pantaninho (área alagada com paisagem semelhante ao Pantanal), ao Rio Grande e às corredeiras do Ribeirão Santa Rita. O caminho até o povoado leva ainda a estradas rurais e fazendas cuja atividade principal é a citricultura. Outro local que apresenta potencial de turismo rural é a Comunidade do Formoso. Lá acontece a maior Festa de Reis da região. São dois dias de festa que atrai um público de duas mil pessoas. São oferecidas comidas típicas, apresentações musicais típicas com as Companhias de Reis em uma estrutura para recepcionar os visitantes da cidade e região.

 
 
O Museu Arqueológico Água Vermelha conta com nove mil anos de história, e é o atrativo melhor estruturado de Ouroeste
 
Conta a história que o lugarejo que deu origem ao município que começou a se formar por volta de 1950, a partir de um loteamento de terras feito por João Velloso, proprietário da fazenda Velloso, situada no território de Guarani d’Oeste.  Fundado oficialmente em janeiro de 1952, o povoado de Ouroeste foi se configurando aos poucos como uma lavoura de subsistência, sobretudo de grãos como o milho, o arroz e o café, e de uma pequena criação de gado.  Em 16 de outubro de 1990, foi sancionada a lei que o transformou em distrito e, finalmente, em 27 de dezembro de 1995, Ouroeste tornou-se município autônomo. Bom saber que Ouroeste (ouro oeste) tem esse nome por conta de suas terras serem férteis e estar localizado na região noroeste do estado de São Paulo.

Como chegar

Para ir até Ouroeste, saindo de São Paulo é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) até a saída 168, depois a SP-310 (Rodovia Washington Luís) até saída 453-A, em seguida a SP-320 (Rodovia Euclídes da Cunha) até a saída 554-A e, finalmente, a SP-543 (Rodovia Percy Waldir Semeguini).


 
Mais informações: www.ouroeste.sp.gov.br