Paraguašu Paulista

Situada no oeste do estado de São Paulo, a estância turística de Paraguaçu Paulista é integrante da bacia do Médio Paranapanema e pertence à Região de Assis. Fica distante 465 km da Capital. É conhecida como “Cidade das Águas”, o que faz sentido, porque o significado do seu nome, Paraguaçu, quer dizer "Para" (água) "Guaçu" (grande), na língua tupi-guarani, fazendo jus à abundância de águas em todo o município. Esta tranquila cidade tem mais um nome, “Princesinha da Alta Sorocabana”, e vem se firmando no setor desde 1997, quando recebeu o título de estância e desde então aperfeiçoando seus atrativos turísticos envolvendo cultura, natureza e lazer.

Muito além do que representa seu nome, as águas estão em várias partes deste destino turístico que conta com uma população estimada, pelo IBGE/2020, de 45.945 pessoas. Destaque para a água quente jorrando de uma fonte natural rica em flúor, enquanto isso, os rios Água das Mortes e Cachoeira se juntam para criar o maior lago da região, o Grande Lago do Parque Aquático "Prefeito Benedicto Benício", formando uma praia pública com areias brancas, palco de inúmeras opções de lazer e esporte. O local possui um espelho d´água de 70 alqueires excelente para jetsky, embarcações, canoagem entre outros. Com 20 quiosques preparados para boa gastronomia, tem espaço para eventos e o privilégio de um espetacular pôr do sol. Este complexo aquático conta com área de preservação permanente de árvores nativas, pedalinhos, bicicletário, parque infantil, área de convivência, espaço para shows, restaurante, lanchonete, quiosques, marina, prainha, quadra poliesportiva e de areia, campos de futebol, pista de caminhada e circuito de exercícios. Completo lazer.




O Parque Aquático de Paraguaçu Paulista tem espelho d’água de 70 alqueires e proporciona lazer para toda a família
 

Muitos turistas chegam a esta cidade também para conhecer Thermas de Paraguaçu, que surgiu com o aproveitamento de um poço perfurado pela Petrobrás, em busca de petróleo. Assim surgiram as Águas Quentes Naturais vindas de 1730 metros de profundidade, numa temperatura de 52º C. Hoje se denomina Resort Parque das Araras. Trata-se de um complexo de lazer, recreação e turismo incrustado no meio de um bosque com mais de quatro mil árvores, contendo 170 espécies diferentes, tornando a oxigenação do ar uma das mais puras do Brasil.

Atração maior: suas águas com poderes terapêuticos, agindo na circulação sanguínea, nos problemas reumáticos, gastrointestinais e pressão arterial. Acesso pela SP-284 para Quatá, seis km. A Fonte Luminosa, inaugurada em 1967, é um dos símbolos da cidade com um visual muito característico: sua sequência de cores e jatos dura 30 minutos sem repetição e este cenário agrega moradores e visitantes na praça, numa atitude de convivência e admiração. É um dos pontos de significativa frequência local e está localizada na avenida Brasil, bem no centro do município.




Dona Lina, como é chamada a Maria Fumaça de Paraguaçu Paulista, foi fabricada em 1879 e seu passeio percorre 14 km
 

Vale dizer que os paraguaçuenses sentem-se muito orgulhosos quando o tema é Turismo Ferroviário e gostam de receber visitantes para uma experiência inesquecível: um passeio na segunda locomotiva mais antiga em funcionamento do Brasil. Tudo fará relembrar o pioneirismo do surgimento das cidades, inclusive Paraguaçu Paulista, no percurso da Estrada de Ferro Sorocabana. A Maria Fumaça "Dona Lina", que sempre levou os passageiros do "Trem Turístico e Cultural Moita Bonita", foi fabricada em Bristol na Inglaterra, no ano de 1879. Sendo um dos principais atrativos desta estância, é responsável por atrair um grande número de visitantes de diversas partes do Brasil, para esses tradicionais passeios.

O trem turístico faz um trajeto de 24 quilômetros, ida e volta, partindo do centro da cidade até o distrito histórico de Sapezal, terra das famosas irmãs Galvão, antes de levar a música sertaneja ao auge. A lotação total do Trem é de 96 passageiros divididos em dois carros, sendo um com 50 lugares e outro com 46 lugares. O percurso de três horas faz uma viagem ao início do século XX revivendo os bons tempos das antigas locomotivas a vapor. Sempre bom relembrar que esta região é rica em histórias e conquistas, vista pelo pioneirismo dos tropeiros a desbravar aquela então parada, hoje resgatada pela cultura local com a catira, o teatro, a música raiz, o artesanato, a culinária e a Folia de Reis.

Não deixe de ir

...ao Museu Ferroviário Dr. Miguel Leuzzi, que se caracteriza com muita história, com ênfase na origem das ferrovias no século XIX, no advento da ferrovia no Brasil embasado na Estrada de Ferro Sorocabana, com a exposição de equipamentos e objetos ferroviários, além da trajetória da Empresa José Giorgi que participou na construção da Sorocabana.
... à Casa do Artesão, para quem aprecia artesanato, com diversidade de produtos: pulseiras, brincos, bolsas, jogos para cozinha, colchas, tapetes, quadros, vasos, pufes, cestos, enfeites, esculturas em madeira entre outras peças. São mais de 25 artesãos que fazem parte de uma associação que, em regime de cooperativismo, expõem e vendem suas peças. O funcionamento acontece em horário comercial, com possibilidades de abrir sábados, domingos e feriados. Fica na Avenida Brasil em frente ao Terminal Rodoviário.
....ao Jardim das Cerejeiras, também localizado na Avenida Brasil, sendo possivelmente o primeiro jardim japonês do Brasil. Foi idealizado na década de 50, e revitalizado em 2019, para conduzir naturalmente seus visitantes a um estado de meditação, calma e espiritualidade, este jardim incorpora elementos simbólicos e naturais, de forma a estabelecer uma harmonia perfeita com o entorno.


Curiosidades

• Conta a história que Moita Bonita era o nome do vilarejo que ficava situado nas proximidades de um pequeno bosque. Ali, a partir de 1910, Domingos Paulino Vieira, conhecido como Minguta, realizou o loteamento de suas terras, localizadas em torno da área onde seria construída a estação da estrada de ferro, local que ficava distante cerca de seis quilômetros do povoado de Conceição de Monte Alegre.
• Cerca de 400 metros da “Moita Bonita” foi inaugurada, em março de 1916, a estação da Estrada de Ferro Sorocabana, que recebeu o nome de Paraguassu. A partir daí, Moita Bonita passou a ter este nome, fato que deu origem ao atual nome da cidade.
• Em dezembro de 1924 Paraguaçu tornou-se unidade político-administrativa independente com a sua elevação à categoria de município, instalado em 12 de março de 1925.

Como chegar

Para ir até Paraguaçu Paulista, saindo da Capital, é preciso acessar a  SP-280 (Rodovia Castello Branco) até à saída 315-B, e  depois a SP-225 (Rodovia Eng João Baptista Cabral Rennó), na sequência entrar na SP-327 (Rodovia Orlando Quagliato) e pela SP-270 (Rodovia Raposo Tavares) até saída do km 447-A, para chegar à SP-284 (Rodovia Manilio Gobbi) até a saída do km 475.


Mais informações: www.eparaguacu.sp.gov.br