Paraibuna

A cidade de Paraibuna envolve uma história que vem da roça, ao lado de importante represa e que resulta em nítida vocação turística. Localizada na Região de São José dos Campos e distante 123 km da Capital, conta com uma população de 18.263 habitantes, de acordo com IBGE/2020. Bom saber que é Município de Interesse Turístico – MIT, desde abril de 2018, e sempre aposta no Turismo Rural, nos esportes náuticos, no Ecoturismo, gastronomia e pesca. Situado no Alto do Paraíba, na escarpa da Serra do Mar, é local do encontro das águas do rio Paraitinga com as do rio Paraibuna, formando assim o rio Paraíba do Sul.

Vale ressaltar que neste MIT, a represa de Paraibuna é uma atração à parte,  pois são 760 km para navegação, um espelho d'água de 230 km², com águas cristalinas e um total de 204 ilhas. Quem visita a represa usufrui de muito lazer e divertimento, ideal para a prática de esportes náuticos, dentre eles: esqui aquático, wakeboard, barco a vela, canoagem, além dos passeios de lancha e jet-ski. Para os que preferem a prática da pesca, há muitos pesqueiros à disposição que oferecem variedade de serviços e de peixes, tais como: tilápias, lambaris, carpas, pacus, piabas, entre outras espécies.
 
 
O Café Caipira local feito no fogão a lenha e em coador de pano é uma tradição paraibunense
 
Um orgulho para os paraibunenses é a arquitetura colonial da cidade, que é um dos principais atrativos e chama a atenção dos turistas. Fundada em 1666, este destino conta com casarios, fazendas e igrejas históricas e até hoje preserva manifestações culturais e folclóricas. Uma das paradas obrigatórias é a Igreja Matriz de Santo Antônio, famosa por seus traços influenciados pela cultura árabes. Recoberta por azulejos brancos e azuis, a construção também chama a atenção em sua parte interna, com mosaicos e lustres. Destaque para as manifestações culturais que perpetuam as tradições locais como as danças -. Forró, Arrasta-Pé, Quadrilhas, Moçambique entre outras; a Música Sertaneja que sempre se fez presente no cotidiano do município, e também as rodas de moda de viola frequentes na zona rural.

A gastronomia de Paraibuna é famosa, uma vez que conta com um grande número de restaurantes da culinária típica da roça como, por exemplo, o "afogado",  leitoa pururuca, quirera com frango, vaca atolada, e o tradicional café caipira. E para os apreciadores de uma boa cachaça, a cidade conta com diversos alambiques. Importante visitar a praça da Bica D’água, patrimônio turístico que preserva lembranças de um passado famoso por fartura e pureza. O local passou por uma ampla reforma no final de 2020 e esta revitalização teve como objetivo oferecer melhor acessibilidade e um ambiente mais agradável aos turistas.


 
A Represa de Paraibuna é uma atração à parte, com águas cristalinas, 760 km para navegação e um total de 204 ilhas

 
Com a história que Paraibuna teve início em 13 de junho de 1666, quando um grupo de homens, vindos de Taubaté, seguiam pelo Rio Paraíba e resolveram parar próximos à junção dos Rios Paraibuna e Paraitinga para descansar. Ali, ergueram uma capela em honra ao santo do dia, Santo Antônio – e em ação de graças pela boa viagem que fizeram – e alguns homens se fixaram, dando início a uma povoação. A fama do local correu atraindo mais pessoas e tornou-se um ponto estratégico para o pouso de tropeiros e viajantes que iam para o litoral. Em dezembro de 1812, Paraibuna é elevada à categoria de Distrito de Paz, em julho de 1832, à Vila de Santo Antônio de Paraibuna, e finalmente, em 30 de abril de 1857, à Cidade.



Como chegar

Para ir até Paraibuna, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-070 (Rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto) até a saída 96 e SP-099 (Rodovia dos Tamoios).



Mais informações: www.paraibuna.sp.gov.br