Patrocínio Paulista

Localizado no nordeste do Estado de São Paulo, distante 419 km da Capital, Patrocínio Paulista já foi marcado como a terra do diamante e é um dos 23 municípios da Região Administrativa de Franca. Foram os garimpeiros, por volta de 1830, que se fixaram e fundaram a cidade perto dos rios Sapucaizinho e Santa Bárbara, este último, contam os mais antigos, de onde foram retirados milhares de diamantes, inclusive três com mais de 100 quilates. Em tempos atuais, o garimpo está proibido na região por questões ambientais.


Hoje a riqueza é gerada em suas generosas e férteis terras, próprias para agricultura e pecuária, além do turismo, mesmo porque recebeu o título de Município de Interesse Turístico – MIT em abril de 2018. Com uma população estimada pelo IBGE em 2020 de 14.807 habitantes, tem uma vocação para turismo rural e natural, com inúmeras nascentes em área urbanizada. Com rica natureza, Patrocínio Paulista tem diversas serras, cachoeiras, riachos e árvores nativas que compõem um cenário exuberante e abriga animais de várias espécies.

Em um raio não maior que dois quilômetros da cidade, é possível cavalgar por estradas de terra observando-se belas paisagens ou, para quem prefere um passeio mais emocionante, pode-se optar por jipes ou motocicletas. Durante o percurso é possível se refrescar em cachoeiras, riachos e rios. Algumas das cachoeiras são bastante frequentadas, como a do Guido, antes chamada de Cachoeira do Mosquito, tem pelo menos 30 metros de altura. O lugar é um dos escolhidos por praticantes de rapel. As estradas que dão acesso às principais cachoeiras são a Vicinal Wilson Couto Rosa e Estrada do Leite.

 
 

Cachoeira do Guido, antes Cachoeira do Mosquito, tem 30 m de altura, por isso é local escolhido por praticantes de rapel
 
Um pequeno trecho do Rio Sapucaí tornou-se ponto de encontro nos dias quentes de Patrocínio, local chamado Ponte Nova.  As águas que correm sob a ponte, do lado direito da Rodovia Ronan Rocha, têm uma correnteza que forma cascatas, com águas rasas que caem sobre as pedras e delineiam um poço que serve para nadar. É frequentado há vários anos por banhistas da região e moradores da cidade que fazem churrasco e passam os fins de semana ali. Já os jovens preferem algo mais radical, como descer o rio de boia no período das cheias. Para quem gosta, há um pesque-pague que se situa bem ao lado da Ponte Nova.


Outra opção de passeio situa-se na fazenda Santa Cecília, dentro do município, e que possui um dos maiores remanescentes de vegetação de mata nativa do município e região. São quase 100 hectares de domínio de Mata Atlântica e 60 hectares de cerrado, em várias fisionomias que estão sendo preservadas por seus proprietários. Possui infraestrutura para realização de diferentes atividades turísticas, em contato com a natureza de importante valor, sendo um local para pesquisas cientificas, projetos, cursos e passeios ecológicos. Está frequentemente aberta para visitações.


Há séculos, a região em que se localiza Patrocínio Paulista era abundante em matas virgens, por causa da fertilidade das terras irrigadas por muitos córregos e rios, sendo reconhecida como “um verdadeiro paraíso terrestre”. Hoje o município integra a oitava região hidrográfica do Estado de São Paulo, pertencente à Bacia Sapucaí-Mirim/Grande (UGRHI-8), e os principais cursos hidrográficos são: Rio Santa Bárbara, Rio Sapucaí-Mirim, Rio Jaborandi, Ribeirão Potreiro, Ribeirão Macaúbas, Ribeirão São Francisco, Rio Sapucaizinho ou Rio do Patrocínio e Rio Esmeril. O mais influente é o Rio Sapucaí-Mirim, que, apesar do pequeno volume de suas águas, é também chamado de Rio Sapucaí-Grande, para diferenciá-lo do Rio Sapucaizinho, que banha a cidade de Patrocínio Paulista.

 


Destaque para a Estátua do Garimpeiro, de 1985, que representa os garimpeiros pioneiros que deram origem à cidade

Os atrativos não param. A cidade conta com um cartão postal, que é a Estátua do Garimpeiro, monumento que representa os garimpeiros que deram origem à cidade e que deslumbra o visitante que entra em Patrocínio Paulista. Inaugurado no centenário da cidade, em 1985, homenageia e leva o nome da praça que o abriga, do Garimpeiro. Nele, um homem com uma peneira nas mãos, representa os trabalhadores pioneiros. Este MIT também dispõe do Turismo Religioso que faz sua parte pelo Roteiro Caminho da Fé percorrendo as igrejas católicas urbanas e rurais da cidade. E as formas de expressão cultural do município são destacadas a exemplo da Folia de Reis, Congada, Capoeira e Banda Marcial Municipal.

Conta a história que a cidade de Patrocínio Paulista surgiu por volta de 1830, quando  famílias de garimpeiros se instalaram na região, atraídas pela abundância de diamantes existentes em seus cursos de água, em especial nos rios Santa Bárbara e Sapucaizinho. Acomodaram-se na confluência daqueles cursos de água, dando origem a um pequeno povoado que, em 1833, era elevado à categoria de Freguesia, com a denominação de Nossa Senhora do Patrocínio do Santa Bárbara dos Mocaubas. Em 1874, houve a elevação do povoado à Freguesia. Em março de 1885, foi elevada à Vila, com a denominação de Nossa Senhora do Patrocínio do Sapucaí, passando a município em 28 de janeiro de 1888. Em 1º de janeiro de 1945, passou a denominar-se Patrocínio Paulista, nome que atualmente mantém. O município é composto por um único distrito, que é o da sede, sendo a mesma sede da comarca, desde 25 de agosto de 1892.


Como chegar

Para ir até Patrocínio Paulista, saindo de São Paulo, é preciso acessar a  SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes), a SP-330 (Rodovia Anhanguera) até a saída 318-A, a SP-334 (Rodovia Cândido Portinari) até a saída do km 394-A, a SP-345 (Rodovia Ronan Rocha) até a saída 20 e a SPA-020/345 (Rodovia Fábio Arruda Guidolin).



Mais informações: www.patrociniopaulista.sp.gov.br