Paulo de Faria

A uma distância de 541 km da Capital, o visitante irá encontrar a pequena Paulo de Faria, que se localiza no extremo norte do território paulista, é banhada pelos rios Grande e Turvo, além de fazer divisa com o Triângulo Mineiro. Com uma população de 8.959 pessoas habitantes, pelas contagens do IBGE de 2020, a “Cidade Alegria”, como é conhecida, obteve o selo de Município de Interesse Turístico (MIT) em maio de 2018. A vocação paulofariense está voltada para o Ecoturismo. Portanto, o turista que se dedica a práticas como os esportes náuticos, a pesca esportiva, os esportes radicais, as trilhas e o camping poderá encontrar em Paulo de Faria o cenário ideal para passar feriados, temporadas ou férias com a família e amigos.


Situada na microrregião de São José do Rio Preto, a cidade está entre as componentes da Região Turística Maravilhas do Rio Grande. Paulo de Faria tem em seu entorno a natureza em estado bruto. Suas cachoeiras, bem como a fauna e a flora exuberantes, formam um conjunto que proporciona ao turista momentos de lazer e também a conscientização com o meio ambiente. Bom saber que a Associação Projeto Ambiental Piracanjuba, sediada na cidade, promove sempre em setembro o plantio de árvores nativas e a soltura de peixes como o tucunaré, o piau, o dourado, o piauçu e mesmo a piracanjuba, quase extinta. Entre suas ações, estão as caminhadas ecológicas, limpeza de matas e cachoeiras, além de palestras e atividades lúdicas com as crianças.
 


No local da imagem do Cristo Redentor há pista de caminhada, praça de exercício físico e brinquedos para as famílias

A Estação Ecológica Paulo de Faria é uma área protegida situada na Bacia Hidrográfica do Turvo/Grande, às margens do reservatório formado pela represa de Água Vermelha e a 30 km do centro da cidade. A reserva, muito procurada para piqueniques e caminhadas, localiza-se no km 555 da SP-322 (a rodovia Waldemar Lopez Ferraz), no bairro do Baixadão. O visitante que chegar à Estação irá encontrar espécimes conservadas de árvores, como o angico, a maria-mole, a aroeira, o ipê-branco, o cedro, a copaíba, o jequitibá, o jatobá e a peroba-rosa. Em matéria de fauna, há espécies como o bugio, o macaco-prego, o sagui, o mico-estrela, a cotia, a paca, a capivara, o tatu-galinha, garças, gaviões, andorinhas e outros animais.


A área onde está localizada a Cachoeira do Talhadão, no rio Turvo, proporciona o turismo ecológico, a pesca esportiva e esportes radicais, além do caminho que leva até ela ser cercado de belezas naturais. Suas quedas d’água de forte correnteza atraem cerca de dois mil turistas por semana, que ficam de um dia ou até mais, passando a noite em barracas de camping. A Cachoeira do Cedro, situada no km 5 da vicinal Chico Procópio, em frente a uma estância hidromineral, também merece destaque no turismo local. Trata-se de um atrativo natural, com uma fauna e flora exuberantes e de várias belezas pelo caminho. O folclore também conta muito em Paulo de Faria, com destaque para a dança caipira, a catira e a Folia de Reis. A Festa do Peão, sempre no mês de julho, é considerada a segunda mais antiga do Brasil e atrai um público de mais de 8,5 mil pessoas



A Cachoeira do Cedro é um atrativo natural com fauna e flora exuberantes e de várias belezas pelo caminho 

 
Curiosidades

• Paulo de Faria é considerada o Berço do Rodeio em Touros, sua Festa do Peão é a primeira do Brasil nessa modalidade e seus eventos acontecem no Recinto Luiz Paulo de Almeida, de boa infraestrutura.

• A catira (ou cateretê) é uma dança folclórica brasileira, o ritmo é marcado pela batida dos pés e das mãos dos dançarinos, tem origem híbrida (influências indígenas, africanas e europeias) e tem suas raízes em Goiás, no norte de Minas Gerais e no interior de São Paulo.

• A imagem do Cristo Redentor, dependendo da data comemorativa, tem suas luzes acesas. Em outubro, em homenagem ao outubro rosa, o Cristo fica de cor rosa; em novembro, em homenagem a novembro azul, as luzes são de cor azul para iluminá-lo. O Cristo está localizado no bairro Jardim Redentor e conta com uma pista de caminhada, praça de exercício físico e brinquedos para moradores locais.

• Paulo de Faria tornou-se município, com o nome atual, em 1938. No Rio Grande, que divide a cidade de Minas Gerais, há uma Prainha Municipal com infraestrutura turística e também uma balsa para a travessia.

• O nome da cidade foi dado em atendimento à solicitação feita pelo então interventor do Estado de São Paulo, Adhemar Pereira de Barros, para homenagear seu ex-secretário, falecido em acidente aéreo.

• A culinária paulofariense faz sucesso. Nos churrascos feitos na região, a Linguiça Cubaiana está sempre na grelha, apetitosa. Além dela, a Quenga, um prato muito conhecido na região, é feita de creme de milho com frango. E há o pudim de pão com frutas cristalizadas, o Coruja, imortalizado pela cozinheira Dona Toca (Florispina Ferreira Goulart).




Como chegar

Para ir até Paulo de Faria, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) até a saída 168, a SP-310 (Rodovia Washington Luís) até a saída 292, a SP-326 (Rodovia Faria Lima) até a saída 379-C e a SP-322 (Rodovia Armando Salles de Oliveira) até a saída do km 540.


Mais informações: www.paulodefaria.sp.gov.br