Pereira Barreto

A Estância Turística de Pereira Barreto, distante 635 km da Capital, é uma cidade privilegiada pela disponibilidade de inúmeros atrativos. Com uma população estimada, pelo IBGE/2020, de 25.677 pessoas, o destaque vai para a Praia Municipal “Pôr do Sol” no Rio Tietê, completamente limpo, em um cenário totalmente diferente da Grande São Paulo. São águas cristalinas, próprias para o banho, pescaria e esportes náuticos. O nome do local também faz jus à sua fama: um pôr do sol quase inesquecível e procurado por muita gente onde se pode até alugar quiosques para melhor aproveitar o tempo.  Bom saber que esta praia conta com esta infraestrutura: lanchonetes, churrasqueiras com pia, mesas e bancos de concreto, banheiros públicos, pista de skate, estacionamento, playground, ciclovia, além de uma paisagem única. Cenário que leva a boas fotos.

Outra atração é o Canal Artificial de Pereira Barreto “Deoclécio Bispo dos Santos“ construído na década de 80 e que interliga os reservatórios de Três Irmãos e de Ilha Solteira através do Rio São José dos Dourados, propiciando a navegabilidade e a geração de energia integrada dos dois rios. Trata-se do segundo maior canal artificial de água doce do mundo, com 9.600 m de comprimento, 50 m de largura e 12 m de profundidade na cota máxima de montante e oito metros na cota mínima. Assim é possível navegar por este canal contemplando a natureza exuberante, em todo o seu percurso, a bordo de barcos e lanchas e praticar atividades como a pesca esportiva. Tem mais: é a possibilidade de se fazer um passeio de barco com direito a eclusagem no rio Tietê. Para que fosse permitida a navegação entre os ramos norte e sul da Hidrovia Tietê-Paraná, entre os municípios de Andradina e Pereira Barreto, engenheiros da CESP construíram a eclusa – um verdadeiro paredão de concreto de 25 m de altura, distante 28 km da confluência com o Rio Paraná. Um passeio de tirar o fôlego.

 


Marco da colonização japonesa em Pereira Barreto, denominado Monumento GO –JU- NO- TO

Pereira Barreto, que recebeu o título de Estância Turística em abril de 2000,  nos conta que partir de fotos antigas, que rementem ao tempo da antiga Fazenda Tietê - onde hoje está localizada parte da cidade - do comércio simples típico do interior, dos tempos da fixação da colônia japonesa por essas terras, do nascimento da cidade, mergulhamos na história desta Estância Turística pelo Museu Histórico da Colonização de Pereira Barreto. Na entrada do museu, uma arena utilizada para prática de sumô. No terreno, cedido pela Associação Cultural Esportiva Pereira-barretense (ACEP), em 2008, também estão expostos a carroça de tração animal da década de 50 doado pela família Kayama, a máquina a vapor utilizada para recalque de água do poço da Estação Ferroviária de Lussanvira, de 1930, e o painel do artista plástico James Kudo, neto de um dos fundadores.


Vale mostrar que a Praça da Bandeira “Comendador Jorge Tanaka”, ou somente Praça da Bandeira, é a mais importante de Pereira Barreto. O local conta com um palco para apresentações, e também com o Cantinho de Leitura, inaugurado em 2017 e que visa fomentar a literatura no município, dando assim a oportunidade de acesso a livros para toda a população, sendo um espaço de leitura aberto a todos. A praça recebeu esse nome em homenagem ao ex-prefeito de Pereira Barreto, Jorge Tanaka, membro de uma das famílias mais tradicionais da história do município. Também recebe diversos eventos ao longo do ano, como o tradicional Festival de MPB, a Festa das Nações, abertura do Natal Conectado, apresentações musicais, dentre outros. No entorno da praça estão localizados diversos estabelecimentos comerciais, bem como sorveterias e lanchonetes. Outro atrativo da Praça da Bandeira é o Relógio Quatro Faces, conhecido como Relojão e é um marco da imigração japonesa na cidade. Foi construído em 1958 por Risaburo Murai, da colônia japonesa, em homenagem ao 30º aniversário da cidade.

 


Destaque para a praia municipal Pôr do Sol no Rio Tietê, completamente limpo, em cenário diferente da Grande São Paulo


Esta estância também sabe cuidar dos idosos, e dispõe do Espaço da Melhor Idade, desde 2011, denominado ‘Professor Mendo Amaral de Almeida Prado’ e possui equipamentos de ginástica e dispositivos rústicos, especialmente desenhados para os idosos para manter e melhorar a mobilidade deles. Com a criação do espaço, a cidade busca trazer para a população um lugar apropriado para o desenvolvimento do lazer e ginástica como um fator de desenvolvimento da saúde e da qualidade de vida, oferecendo no local quiosque com mesas de jogos (baralho e dominó), sanitários acessíveis, bebedouro, equipamentos com estação senta e levanta, estação rampa e escada, bocha, trilhas para caminhadas, estação ergométrica, estação barras paralelas, escada de dedos e rampa giratória.

A história desta estância é assim: Pereira Barreto foi fundada oficialmente, em 11 de agosto de 1928, com o nome de Novo Oriente, quando a Sociedade Colonizadora do Brasil Ltda. adquiriu parte das terras do povoado de Itapura, a fim de receber imigrantes japoneses que vieram para o Brasil, naquela época, trabalhar na lavoura. As terras então já pertenciam ao município de Monte Aprazível e eram banhadas por grandes rios, como o Tietê e o Paraná, o que as tornavam apropriadas para a lavoura, que, em pouco tempo, tornou viável o rápido progresso da região. Em 1938, o então distrito de Novo Oriente foi elevado à categoria de município, em novembro de 1938, e recebeu então o nome de Pereira Barreto, em homenagem ao médico e político brasileiro Dr. Luiz Pereira Barreto (1840-1923). Em tempo: Pereira Barreto ainda guarda fortes traços de seus fundadores, os imigrantes japoneses, que podem ser facilmente observados na cozinha, nos costumes e nos monumentos públicos da cidade. Posteriormente, vieram para cá, também imigrantes italianos, espanhóis, portugueses, sírios, libaneses e muitos brasileiros vindos de várias regiões do País, principalmente do Nordeste.


O nome Tietê foi registrado pela primeira vez no ano de 1748 no mapa Danville. De origem tupi significa "água verdadeira", com a junção dos termos ti (água) e etê (verdadeiro, grande, fundo, que corre para baixo).


Como chegar

Para chegar até Pereira Barreto saindo de São Paulo, é preciso acessar a Rodovia Castelo Branco (SP-280) até a entrada do município de Botucatu, depois seguir pela Rodovia Marechal Rondon (SP-300) e, antes de Andradina, entrar à direita.



 
Mais informações: www.pereirabarreto.sp.gov.br