Peruíbe

Peruíbe fica no litoral Sul Paulista e integra a Região Metropolitana da Baixada Santista. Distante 141 km da Capital, é uma cidade que soma atrativos turísticos para todos os gostos e idades. Com uma população estimada, pelo IBGE/2020, de 69.001 pessoas, esta estância tem quase a metade de seu território incluído em sete unidades de conservação ambiental, em especial a Jureia-Itatins e o Parque Estadual da Serra do Mar, duas das mais amplas e importantes áreas de preservação do estado de São Paulo. Há uma predominância de Mata Atlântica, reunindo espécies como jacarandá, jequitibá, ipê, além de orquídeas e bromélias. Manguezais e restinga completam a área litorânea, e mais para o interior há a presença de cerrado.


Ao lado da beleza de seus 32 km de praias, Peruíbe tem outros tantos motivos para bem receber seus visitantes, como é o caso da Lama Negra, atração tradicionalmente conhecida por munícipes e turistas por suas propriedades terapêuticas, dermatológicas, antialérgicas e antissépticas. É formada a partir de uma substância argilosa de origem marinha depositada em depressões no fundo do mar, há mais de 120 mil anos, devido a um movimento geológico. A jazida do município fica localizada a 500 metros do mar, distribuídas em cinco hectares. Suas propriedades medicinais e terapêuticas são semelhantes às encontradas no Mar Morto, na Jordânia.
 



Museu Histórico e Arqueológico funciona na antiga estação ferroviária e abriga cerca de cinco séculos de história


O turista pode ser encantar também com a Observação de Aves como resultado da rica fauna de aves presentes na preservada Mata Atlântica em Peruíbe. Ou conhecer, por visita guiada, as aldeias indígenas tupi guaranis nas terras do Piaçaguera, divisa entre Peruíbe e Itanhaém. Há a possibilidade de vivência incluindo banho de rio, alimentação tradicional, oficina de artesanato, bijouterias, armas e instrumentos musicais. Uma experiência única com cursos de bioconstrução, passando pelo poder das plantas e pela fitoterapia. Vale saber que esta estância tem destacada Zona Rural, cujo acesso é pela Estrada Armando Cunha, à direita no viaduto da entrada principal da cidade. As águas cristalinas para banhos do Poço Azul, a Cachoeira do Rio Ouro, diversos pesqueiros, haras, passeio a cavalo, culinária de fogão à lenha, trilhas e caminhos para bicicletas, rios, piscinas de água corrente de nascente são os diferenciais desta natureza exuberante com mata preservada e até possível contato com animais silvestres. É um turismo diversificado.


Pela cultura, o turista conta com o Museu Histórico e Arqueológico de Peruíbe, inaugurado em 2018, e que funciona na antiga estação ferroviária, na Rua da Estação s/n, próximo à rodoviária.  O prédio foi construído em 1914 e abriga cerca de cinco séculos de história. Outro destino interessante: Ruínas do Abarebebê identificadas como uma das primeiras das igrejas construídas no Brasil, na segunda metade do século XVI. Suas ruínas foram tombadas como patrimônio histórico nacional e paulista, tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e CONDEPHAAT  (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico), em 1984. Abarebebê fica a oito km do centro da cidade, com acesso pela Avenida Padre Anchieta. E para quem gosta de vistas panorâmicas, há duas recomendações em Peruíbe: o Mirante da Pedra da Serpente e o Mirante da Torre. No centro há o Boulevard, um amplo calçadão no centro comercial e de lazer na cidade. No local se realizam shows musicais, dança, corais e o desfile e concerto da Banda Musical Municipal de Peruíbe.

 


Portinho de Pesca, ao lado do Mercado Municipal de Peixes, utilizado para descarregar o produto da pesca
 

Como uma cidade litorânea, seus oito km de orla são destaques com quiosques padronizados e uma boa infraestrutura composta de chuveiros, banheiros, ciclovia, calçadão e estacionamento. No total, porém, são 32 km de praias. Eis as principais: Praia do Caramborê, quase deserta, especial para alcançar a tranqüilidade; Praia do Guaraú, ótima para passeios aquáticos a bordo de barcos, canoas ou escunas; Praia do Costão, com uma trilha de 400 m de extensão pela Mata Atlântica; Praia de Piaçaguera, boa para pesca amadora;
Praia de Tapirema tem as ruínas da primeira igreja da Companhia de Jesus no Brasil; Praia da Barra do Una, bem preservada, pois pertence à Estação Ecológica Juréia Itatins e as Praias do Centro não possuem delimitação física entre elas, são divididas por bairros. Possuem areias finas e escuras e suas ondas são propícias para o surfe, pesca de arremesso e esportes náuticos. Com hotéis, pousadas, bares e restaurantes.


A história de Peruíbe está intimamente ligada ao estabelecimento dos padres jesuítas pelo litoral do estado de São Paulo. Em 1549, chegou o padre Leonardo Nunes para fazer a catequese dos índios, no local onde já havia sido construída a Igreja de São João Batista. Os indígenas o apelidaram de “Abarebebê” (Padre Voador), pois parecia estar em vários locais ao mesmo tempo. Restos desta Igreja são conhecidos hoje como Ruínas do Abarebebê. Em 1554, foi a vez de o padre José de Anchieta chegar ao aldeamento. Em 1640, passou a ser conhecida como Aldeia de São João Batista e, em 1789, os padres jesuítas foram expulsos do Brasil. A aldeia, abandonada, entrou em declínio, tornando-se uma pacata vila de pescadores, sempre submetida ao município de Itanhaém. Em 1958, então um grupo de moradores e frequentadores de Peruíbe, através de movimento político articulado, conseguiu a realização de um plebiscito para emancipar Peruíbe que se formalizou no dia 18 de fevereiro de 1959. Finalmente, em junho de 1974 passou a ser reconhecida como Estância.


"Peruíbe", segundo Silveira Bueno (1898 - 1989), jornalista, filólogo e poeta, é um vocábulo indígena que significa "no rio dos tubarões", pela junção dos termos tupis iperu (tubarão), 'y (rio) e pe (em). Consta, porém, em alguns documentos, que esse nome estaria associado ao modo como José de Anchieta se referia ao lugar, chamando-o de "Tapirema do Peru", por suas semelhanças com uma região peruana, onde os jesuítas haviam enfrentado dificuldades no exercício da catequese. Antigamente, Peruíbe era a aldeia dos índios Peroibe.


Como chegar

Para ir até Peruíbe saindo da Capital é preciso  acessar a SP-160 (Rodovia dos Imigrantes) até a saída 57-A e a SP-055 (Rodovia Padre Manoel da Nóbrega) até a saída km 343.

 
Mais informações: www.peruibe.sp.gov.br