Piratininga

Um dos Municípios de Interesse Turístico – MIT desde 2018, Piratininga tem muito a oferecer ao turista que está em busca de paz e tranquilidade. A cidade se encontra a 335 km de distância da capital e faz parte da região de Bauru e da Região Turística Coração Paulista, conhecida por oferecer aos visitantes cultura, história e belezas naturais. Com 13.765 habitantes, de acordo com estimativas do IBGE/2020, dispões de uma variedade de atrativos turísticos, com áreas repletas de belezas naturais, com uma paisagem campestre com matas ciliares em torno de ribeirões e destacada presença de manejo florestal de eucaliptos.

Este destino possui uma Área de Proteção Ambiental, Apa Rio Batalha, criado em 2001 e está presente em mais dez cidades além de Piratininga, que tem como objetivo preservar remanescentes importantes da Mata Atlântica, cerrado e a fauna local. É possível encontrar no local algumas cachoeiras importantes, por estar em uma área de relevo levemente ondulado, com predomínio de colinas amplas e morros pequenos junto às cabeceiras dos formadores do rio Batalha. Além de cachoeiras, há outros espaços para contemplar e se divertir, como rio, represa, mirante, playground, quadra poliesportiva e observação de animais.

Bom saber que a cidade também é privilegiada em ter águas termais. Em 1980, quando estavam em busca de petróleo, encontraram água sulfurosa com enxofre de caráter medicinal, com isso surgiu o “Águas Quentes de Piratininga”, hoje conhecido como Novo Thermas de Piratininga. As termas são a principal atração do município e região por causa das propriedades terapêuticas da água e outras atrações do lugar, como a praia artificial, tobogã, o lago e o camping.

 
 

O Novo Thermas contém águas com propriedades terapêuticas, além de praia artificial, tobogã, lago e camping
 
Mas se além de sossego o visitante também procura por cultura, o Museu do Café é um ótimo ponto turístico e fica na fazenda São João com duas vertentes, a história e o meio ambiente. O Museu do Café atende não só o visitante da cidade, mas também as escolas e oferece exposições, história sobre o café e o café da manhã, monitorias nas trilhas, passeios de cavalo e trilha em direção à  cachoeira do córrego São João.

Outro lugar importante da cidade repleto de cultura é o Centro Cultural Prof.ª Nirce Borro Cardoso Franco. Considerado um dos Patrimônios Históricos e Culturais da cidade, seu edifício foi construído em 1931 com um estilo nobre, já seu nome é uma homenagem à professora Nirce, que foi uma pessoa importante para Piratininga. O centro cultural conta com espaços literário, musical, artístico e recreativo, já foi palco para grandes festas da cidade. A Estação Ferroviária de Brasília Paulista também conta um trecho da história de Piratininga, ela foi inaugurada em 1926 como plano B das estações desbravadoras da Alta Paulista.

Para o visitante que for para Piratininga e está em busca de turismo religioso a cidade também tem pontos incríveis. O Mosteiro Imaculada Conceição e São José é um espaço monástico semipúblico onde acontecem retiros, missas e outros eventos religiosos, como as festas abertas para a comunidade no mês de agosto. Há também outras capelas, além da Igreja Matriz Santa Maria de Piratininga.
 


O Turismo Religioso é forte neste destino turístico e passa pela Igreja Matriz Santa Maria de Piratininga

 
A história do município tem início em 1887, quando se ergueu na encosta da Serra do Veado o antigo patrimônio Santa Cruz dos Inocentes, nome dado por causa das crianças inocentes que morriam e eram enterradas por lá, e algumas pessoas doaram parte das suas terras para que a Vila Piratininga tomasse forma. Na época foi cedida parte de suas terras para a Companhia Paulista de Estradas de Ferro, dando início o progresso para a Vila Piratininga. Em dezembro de 1907, a vila elevou-se à categoria de distrito do município de Bauru; em dezembro de 1910 o distrito foi transferido para o município de Agudos e no dia 17 de dezembro de 1913 conquistou sua autonomia.

Vale saber que Piratininga, no tupi-guarani, significa “o peixe-a-secar” ou “seca-peixe”, mas não é esse o significado do nome da cidade. O nome foi dado por Adolpho Augusto Pinto, engenheiro da Cia Paulista de Estradas de Ferro, em homenagem ao primeiro centro de civilização no planalto paulista, em 1554, porque o novo povoado comparado com São Paulo de Piratininga (atual São Paulo) tinha o objetivo de ser um “centro abastecedor à boca do sertão” e “núcleo avançado na Alta Paulista”.


Como chegar

Para ir até Piratininga, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 210, a SP-209 (Rodovia João Hipólito Martins), a SP-300 (Rodovia Marechal Rondon) até a saída 336, a SP-225 (Rodovia Eng. João Baptista Cabral Rennó) até a saída do km 246 e a SPA-247/225.

 
Mais informações: www.piratininga.sp.gov.br