Praia Grande

Ao passar a Ponte do Mar Pequeno, pela SP-160 (a Rodovia dos Imigrantes, em sua extensão final), seguindo para a direita, o turista irá atravessar o portal de entrada de Praia Grande, localizado a 72 km de São Paulo. A cidade que, depois de Santos e São Vicente, é a mais populosa do litoral paulista, tem 330,8 mil habitantes (pelo IBGE de 2020), faz parte da Região Metropolitana da Baixada Santista, sendo um dos oito municípios pertencentes à Região Turística Costa da Mata Atlântica. Praia Grande tem uma das praias mais movimentadas do Brasil e foi eleita pelo Ministério do Turismo como a quarta cidade que mais recebe turistas no País durante a temporada de verão, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis.

Conhecida por suas altas temporadas, Praia Grande é uma estância turística que recebe nos verões cerca de 1,86 milhão de turistas, mais de cinco vezes a sua população fixa. Seu crescimento, em infraestrutura e quantidade de habitantes, teve uma rápida expansão entre 2000 e 2009, a ponto de receber, em 2015, o título de “a cidade que mais cresce no Brasil”. Esse crescimento ganhou impulso na década de 1980, com a inauguração da Ponte do Mar Pequeno, no trecho final da Imigrantes, resolvendo dois problemas de uma só vez – desafogou o trânsito na saturada Ponte Pênsil, e ao mesmo tempo fez Praia Grande ganhar acesso direto à Capital sem a necessidade de passar pelas cidades vizinhas, como era antigamente. Bom para o turista.

 


O Complexo do Palácio das Artes de Praia Grande, de seis mil metros quadrados, é um dos mais importantes da região
 


Na década de 1990, o destino entrou para o seleto grupo de cidades que têm a orla marítima urbanizada e saneada. Com 22,5 km de extensão, a costa praiagrandense é dividida em 12 praias – a do Forte, do Canto do Forte, Boqueirão, Guilhermina, Aviação, Tupi, Ocian, Vila Mirim, Vila Caiçara, Jardim Real, Balneário Flórida e Solemar, sendo que o centro da cidade se situa no Boqueirão. Equipamentos como a Boutique do Peixe, a Feirinha da Guilhermina, a Praça do Skate, os quiosques que se tornaram restaurantes, a ciclovia e outras obras acrescentadas, tudo isso compõe a maior orla marítima urbanizada do Brasil. Essa urbanização transformou toda a balneabilidade das praias, o que permite a ida de turistas à cidade em qualquer época do ano.

Saindo da praia, o visitante encontra pontos como a Estátua de Netuno, na Cidade Ocian, toda edificada em bronze. Ainda na Cidade Ocian, está a Avenida dos Sindicatos, que reúne 30 colônias de férias de diversos sindicatos e é o maior complexo da América Latina no gênero, contendo mais de 10 mil leitos. Já as sete cabeças da Praça da Paz, no Boqueirão, feitas em aço carbono, têm cerca de dez metros de altura e até 30 toneladas cada uma, representando Sérgio Vieira de Mello, Jesus Cristo, Papa João Paulo II, Gandhi, Mandela, Madre Teresa de Calcutá e Maria Mãe de Jesus. Na alta temporada, a orla, as lojas e as ruas da cidade ficam cheias, há boa oferta de hospedagem e de aluguel para temporada e os preços sobem nesse período.

 


O Portinho, que fica em frente ao Mar Pequeno, próximo à entrada de Praia Grande, tem 73m de deck e muitas atrações
 
Para desfrutar de sossego em Praia Grande, o ideal é viajar antes ou depois da temporada de verão. O número de pessoas cai e o preço das hospedagens também. Melhores meses para viagem: entre outubro e novembro, bem como entre março e abril. A parte mais movimentada da cidade é o Boqueirão, onde funciona o grosso do comércio e dos serviços, com diversos estabelecimentos. Hospedagem na cidade não é problema. Há hotéis e pousadas e grande número de apartamentos para locação por diárias. Para a alta temporada, recomenda-se reservar hospedagem com antecedência. Em termos de gastronomia, restaurantes não faltam em Praia Grande, bem como pizzarias e lanchonetes e há opções de culinária para todos os gostos e bolsos.

Curiosidades

• Nos dois terminais interestaduais de Praia Grande (Tude Bastos e Tático) há embarques de ônibus para as principais cidades do Brasil e para o Exterior (Paraguai,  Uruguai e Argentina).
• A Via Expressa Sul, que liga o Boqueirão, na entrada da cidade, até a Vila Mirim, é considerada um modelo de urbanização e desenvolvimento rodoviário para todo o País.
• Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, foi incorporado ao serviço ativo do Exército no Forte Itaipu (no bairro do Forte) em 20 de janeiro de 1959, iniciando a caserna como o soldado 201-Nascimento. Ele representou a unidade em diversas competições esportivas.
• No século XVI, os índios tupiniquins habitavam a região de Praia Grande. O local foi percorrido pelo jesuíta José de Anchieta que, saindo de São Vicente, seguiu caminho para Itanhaém. Nessa época, era conhecido como Praia da Conceição.
•  A região começou a ser urbanizada a partir da construção do Forte Itaipu, em 1902. Na década de 1910, os banhos de mar com fins terapêuticos eram recomendados no local, devido à concentração de iodo. O aniversário da cidade, em 19 de janeiro, remonta à época em que Praia Grande se desmembrou de São Vicente, em 1967.

Não deixe de ver

• A Fortaleza de Itaipu, no bairro do Forte, com acesso pela avenida Marechal Mallet, proporciona passeios monitorados aos túneis, aos canhões e à ponta do promontório onde está a edificação construída em 1902 e que, em 1932, teve uma de suas fortificações, o Forte Jurubatuba, atacado durante a Revolução Constitucionalista. O turista percorre em grupos os trechos protegidos de Mata Atlântica e que estão sob a guarda do Exército brasileiro.
• O Portinho é uma das mais belas e ainda desconhecidas áreas de lazer do Litoral Sul de São Paulo. O acesso a ele se dá próximo ao Portal de Entrada de Praia Grande, seguindo para a direita para quem vem de São Paulo. Há aluguel de barco de passeio e de pesca. Há 23 quiosques com churrasqueiras e também restaurantes. O ecossistema do Portinho é protegido por ser área de procriação animal. Ideal para observar o pôr do sol, passear e desfrutar de um dia tranquilo.
• O Palácio das Artes é um complexo cultural de seis mil m², localizado diante da rotatória e próximo à rodoviária de Tude Bastos. Abriga salão de eventos, com capacidade para 600 pessoas. Possui salas e auditórios, além de um espaço com exposição permanente de esculturas e sala para peças teatrais. Na decoração, o lustre gigante tem 3,20 m de altura e 2,60 de largura, com 12 mil pedras de cristal e 120 lâmpadas.

Como chegar

Para ir até Praia Grande, saindo de São Paulo, é preciso acessar as Rodovias Anchieta ou Imigrantes (SP-150 e SP-160) e a Rodovia Padre Manoel da Nóbrega (SP-55).

 
Mais informações: www.praiagrande.sp.gov.br