Rifaina

Situada à margem esquerda do Rio Grande, bem na divisa entre São Paulo e Minas Gerais, Rifaina é a Praia do Interior que deu certo.  Localizada a 464 km da Capital, recebe nos feriados e finais de semana mais de 150 mil turistas a cada ano. Com uma população estimada, pelo IBGE/ 2020, de 3.640 pessoas, a cidade sempre acreditou na vocação turística em especial pela instalação da Usina Hidrelétrica de Jaguara, construída às margens do Rio Grande que divide os municípios de Sacramento, em Minas Gerais e Rifaina, no estado de São Paulo.

Aos poucos, Rifaina começou a explorar sua condição de cidade ribeirinha como resultado do lago formado pela represa da Usina. Foi no início dos anos 2000 que a vocação eclodiu: o município decidiu investir esforços para explorar sua vocação turística, trabalhando nas áreas de saneamento, educação, saúde, segurança e serviços voltados para o segmento. O cartão-postal da cidade é o Lago Jaguara, com 33 quilômetros quadrados de espelho d'água. A represa formada pelas águas do Rio Grande deu origem à praia artificial de Rifaina, que nos finais de semana transforma-se em um verdadeiro balneário, tomado por lanchas e jet skis.

 


Praia de Rifaina, com 1,5 km de extensão, é diversão garantida para todos ao longo do Rio Grande

 
Ao longo dos anos, mais de 400 ranchos ribeirinhos foram construídos em todo o entorno da represa, fortalecendo a cidade como ponto de referência para o turismo náutico. Assim, Rifaina tem um histórico de atração de mais de 1.200 embarcações que acabaram provocando o surgimento de mais um nicho econômico e de geração de emprego e renda: as marinas. A cidade ainda conta com a Gruta dos Palhares, atrativo muito procurado pelos turistas.

Rifaina, que se tornou em 2017 Município de Interesse Turístico – MIT, também criou uma Rota de Ciclismo com a adesão de centenas de interessados nesta modalidade. Nos esportes náuticos, o mergulho é uma atração que encanta pessoas vindas de todos os cantos do País. Uma rota preferida é ver a Rifaina antiga, submersa desde a década de 60, quando o lago foi inundado com a inauguração da Represa de Jaguara. Além da praia, o município oferece trilhas que levam a cachoeiras e cavalgadas, além de clubes às margens do lago que oferecem passeios de barco e infraestrutura de lazer.

 



O cartão-postal da cidade é o Lago Jaguara que oferece belas paisagens, passeios de barco, jet-ski e mergulhos

Tem mais: Rifaina conta com o turismo de observação de aves, que começou timidamente há alguns anos e já registra adeptos em grande número, entre os quais, além de ornitólogos, os tradicionais “passarinheiros”. Outra atração deste MIT é a gastronomia, com o surgimento de mais de uma dezena de bares e restaurantes na região central e na extensão do Calçadão, com destaque para quiosques construídos pela Prefeitura, cujos estabelecimentos oferecem uma culinária diversificada aos clientes, num especial ambiente à beira da represa.

Vale destacar, didaticamente, que este forte turismo náutico desenvolvido no município passa pelo seguinte conceito: é um tipo de turismo alternativo cada vez mais popular que se define como férias ativas em contato com a água, através da realização de atividades como a navegação em barcos à vela ou iates, bem como outras atividades lúdicas e desportivas que impliquem o desfrute da natureza neste contexto.

Curiosidades

• Rifaina é uma cidade que pertence ao Circuito dos Lagos.
• Foi na margem esquerda do rio Grande, entre os córregos do Cervo e da Casa Branca, que se instalaram os primeiros povoadores, provavelmente no início do século XX, quando foi formado o Arraial do Cervo, na Freguesia de Santa Rita do Paraíso, hoje Igarapava.
• Foi elevada à Freguesia com a denominação de Santo Antônio da Rifaina, aí foi incorporado ao município de Pedregulho com o nome simplificado para Rifaina em 1921. Só foi elevada à categoria de Município em 1948.
• A palavra Rifaina é oriunda do tupi e significa ‘ caminho do porto do rio’. Outra versão afirma que Arrifana provém de arrife, de origem árabe e é sinônimo de recife, alusivo à geografia local.


Como chegar

Para ir até Rifaina, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes), a SP-330 (Rodovia Anhanguera) até a saída 318-A e a SP-334 (Rodovia Cândido Portinari).


 
Mais informações: www.rifaina.sp.gov.br