Salesópolis

O rio mais importante para a história paulista tem berço. A pacata Salesópolis, localizada a 105 km de São Paulo, é uma pequena estância turística com grandes áreas verdes da Serra do Mar, de preservação ambiental, onde estão as nascentes do rio Tietê (que no total tem 1010 km de extensão). Para os turistas que visitam o Parque Nascentes do Tietê, que fica a 17 km do centro da cidade, no bairro da Pedra Rajada, há atividades oferecidas como as caminhadas por trilhas e fontes, além de ser possível encontrar no caminho torneiras com água limpinha do rio para beber. Mas Salesópolis não tem apenas a nascente do Tietê como atrativo, uma vez que a natureza a brindou com belas cachoeiras como a do Ponto, a da Porteira Preta e a do Tobogã.

A estância, que tem população da ordem de 17,2 mil habitantes (segundo o IBGE de 2020), faz parte da Região Turística Nascentes do Tietê com outras nove cidades. Seu território compreende também a Estação Biológica de Boraceia, que tem 96 hectares e se situa em uma área de proteção de mananciais administrada pela Universidade de São Paulo. Convém dizer que esta estação é uma das duas únicas localidades onde ainda ocorre uma árvore da Mata Atlântica sob ameaça de extinção, a Buchenavia rabelloana. Por sua vez, o Parque Nascentes do Tietê possui 1,34 milhão m² de preservação, com destaque para a nascente do rio, que é um marco histórico do Estado, sendo que é celebrado anualmente em 22 de setembro o Dia do Rio Tietê.

 


Salesópolis é berço do rio mais importante da história paulista, o Tietê


Entre as atrações de Salesópolis está o Parque do Pinheirinho, também conhecido como “Prainha”, localizado na Estrada da Aparecida, a sete quilômetros do município, com uma área de 300 hectares onde há florestas naturais e reflorestamento de pinheiros do tipo “Pinus araucaria”, “Pinus elliottii” e eucaliptos. Ao longo do pinheiral (devido à ação dessas árvores que conseguem “secar” terrenos úmidos) formou-se uma praia artificial e tem áreas de descanso com muita vegetação, o que chega a atrair visitantes assíduos, alguns vindos até mesmo de outras regiões. O Museu da Energia, que fica em meio à Mata Atlântica, abriga uma usina hidrelétrica que usa água do Rio Tietê para gerar energia desde 1913 e há atrações educativas para todas as idades.

Quanto à arquitetura, a bela Igreja Matriz de São José, inaugurada em 1911 e localizada no centro da cidade, é um dos cartões postais e pode ser vista de qualquer ponto de Salesópolis. Dentro dela, há afrescos em vários estilos e pinturas. Já o sítio Casarão do Café foi construído no início do século XX e faz parte de uma rota de turismo rural, tem estilo colonial e uma de suas atrações é a roda d’água que gira um moinho de cana de açúcar, onde os visitantes podem beber garapa feita na hora. Por sua vez, o Casarão Senzala é hoje um restaurante com gastronomia muito aclamada e que realmente foi senzala de escravos no século XVIII, construído em pau a pique. Na Estrada dos Mirandas, o Mirante da Torre permite visão panorâmica da cidade e da região.


 


Casarão antigo, que já foi senzala, possui acervo de objetos usados pelos escravos e com gastronomia para os visitantes


Curiosidades

• O nome Salesópolis é uma palavra composta que significa “Cidade de Sales”, como homenagem ao Presidente da República Campos Sales, quando de sua visita à cidade, em 1905, e foi então mudado para a atual denominação (antes chamava-se São José do Paraitinga).

• Em toda primeira quinta-feira de cada mês ocorre em Salesópolis a Tradicional Feira da Quinta-feira de Mês, uma tradição que veio do início do século XX, surgida como promessa dos fiéis pelo fim da varíola, doença que ocasionou muitos óbitos na região. No evento, ocorre a Missa, a Procissão ao Santíssimo e a tradicional feira. É considerado dia santo.

• Salesópolis teve início como povoado, denominado São José do Paraitinga e fundado em princípios do século XIX por Aleixo de Miranda e os alferes José Luís de Carvalho e Francisco Gonçalves de Souza Melo. Foi elevado à freguesia de vila em 1838 e à vila em 1857.

• A cidade-irmã de Salesópolis é a japonesa Gero, na província de Kumamoto. A chegada, em 1956, de imigrantes japoneses que se estabeleceram na região em uma colônia própria, propiciou no local o cultivo de diversos produtos agrícolas e hortaliças.

• O Rio Tietê foi registrado pela primeira vez em 1748 no mapa Danville, seu nome em tupi significa “rio verdadeiro” ou “rio que corre para baixo”. Sua nascente fica a 1120 metros de altitude e a apenas 22 km do litoral, embora as escarpas da serra obrigam-no a fluir em sentido inverso.

• Uma das primeiras usinas hidrelétricas do Brasil foi construída pela antiga Light & Power Cia. Ltda. em 1912, a atual Usina Parque de Salesópolis e gerava energia a partir de uma queda de 72 m de altura.

Não deixe de ir

• ...ao Parque Nascentes do Tietê, que fica na Estrada do Pico Agudo, altura do km 6, no Bairro Pedra Rajada, em Salesópolis (Rodovia prof. Alfredo Rolim de Moura, sentido Salesópolis/Tamoios, no km 107,4 para acesso à estrada de 6 km). O local funciona todos os dias, das 10 às 16 horas.

• ...ao Mirante da Torre, na Estrada dos Mirandas, a 1,5 km do centro de Salesópolis, de onde se tem uma vista da cidade e grande parte do seu relevo.

Como chegar até Salesópolis, saindo da Capital: há duas opções, ou   pela Rodovia Nilo Máximo (SP-077), que vem de uma extensão da Rodovia Carvalho Pinto (SP-070) ou saindo da Rodovia Presidente Dutra (BR-116) a partir de Jacareí,  a Rodovia Professor Alfredo Rolim de Moura (SP-088), que passa por Mogi das Cruzes e Biritiba Mirim até chegar à cidade.

 
Para saber mais, clique no site www.salesopolis.sp.gov.br