São José do Rio Pardo

Com 55.124 habitantes, de acordo com dados do IBGE/2020, o município de São José do Rio Pardo fica quase na divisa com o Estado de Minas Gerais, e integra o Circuito Turístico Café com Leite que reúne 10 cidades paulistas e 10 mineiras. Desde abril de 2018, Rio Pardo é MIT – Município de Interesse Turístico, e se orgulha de ser a cidade onde o famoso engenheiro, escritor, ensaísta e jornalista Euclides da Cunha escreveu parte da sua mais famosa obra, Os Sertões, há mais de 100 anos. Como resultado desse Turismo Cultural, somado a tantos outros atrativos, o município é referência em sua região.
 

Distante 256 quilômetros da cidade de São Paulo, este MIT é privilegiado pela natureza, e contempla diversos pontos turísticos a céu aberto, dentre eles, a estátua do Cristo Redentor, localizado no topo de um morro que margeia a cidade e o Recanto Euclidiano, uma herma (escultura de um busto) localizada às margens do Rio Pardo. Também conta com Casa de Cultura  onde Euclides da Cunha morou e, hoje, abriga acervo histórico; Ponte Metálica, cartão postal da cidade, que foi reconstruída por Euclides da Cunha e inaugurada em 1901 e a Matriz com  arquitetura idealizada por Ramos de Azevedo, com vitrais dinamarqueses e fachada que lembra a catedral francesa de Notre Dame.



Casa da Cultura Euclides da Cunha, famoso engenheiro, escritor, ensaísta, jornalista e autor da famosa obra Os Sertões

 

Vale dizer que no início do século XX, São José do Rio Pardo acolheu grande quantidade de imigrantes, principalmente italianos e foi neste município, integrante da região Alta Mogiana, que Euclides Rodrigues Pimenta da Cunha escreveu parte de sua obra-prima, Os Sertões, entre 1898 e 1901. Ele  foi Patrono da cadeira nº 7 da Academia Brasileira de Letras (ABL), eleito em 1903. Sempre no mês de agosto, a atração efetiva deste MIT é a Semana Euclidiana com apresentações musicais, teatro, oficinas, palestras, exposições e que atrai um número considerável de turistas interessados neste tipo de cultura.  No ano de 2019, sempre em agosto, aconteceu a 81ª semana com o tema “Euclides da Cunha: Pioneiro na Defesa do Meio Ambiente no Brasil”, e debateu os problemas ambientais do país, questão abordada pelo escritor em suas obras. Em meio à programação, a Semana Euclidiana sempre abriga uma Feira Literária Rio-Pardense com palestras, lançamentos de livros, oficinas, saraus, concurso de poesias, entre outras atividades.

 

Em relação à natureza local, o Rio Pardo nasce na Serra do Cervo, após a Serra da Mantiqueira, e banha também outras cidades como Caconde, que também usufrue da força do rio, aos poucos a cidade descobre os ecoturistas, que vêm em busca de fortes emoções envolvendo este rio. A forma de vegetação predominante no município é a floresta estacional semidecidual, conhecida também como Mata Atlântica. Outra característica importante desta região é a presença de uma transição do Cerrado para Floresta Estacional, com a presença de matas com características tanto de Cerrado quanto de Floresta. Este MIT também se orgulha pelo seu Aeroclube, localizado em uma área rural. Trata-se de uma escola de aviação e também clube social, que recebe rio-pardenses e pessoas de todo Brasil. O Aeroclube de São José do Rio Pardo foi fundado em 1941 com objetivo de difundir a prática da aviação civil e desportiva em todas suas modalidades. Dispõe de uma pista em pavimento asfáltico de 1200 x 18 metros e hangar de 600 m² em uma área total de 260.000 m².

 

Ponte Pênsil que leva até ao minizoo localizado na Ilha São Pedro

 

Outro bom atrativo deste destino é o Parque Municipal Vereador Antônio de Pádua Nunes – Ilha São Pedro –onde está localizado Zoológico Municipal também conhecido como minizoo que foi fundado em 1978. Conta com uma área de mais de 11 mil metros quadrados e possui cerca de 113 espécies de animais, onde encontramos mamíferos, aves e répteis. Como o zôo fica numa ilha, o único acesso é por uma ponte pênsil. Como curiosidade, há alguns anos uma campanha elegeu as Sete Maravilhas Rio-pardenses, que são locais agraciados pela beleza física e histórico-cultural, sendo eles em ordem de eleição: Estátua do Cristo Redentor, Igreja Matriz de São José, Ponte Euclides da Cunha, Estátuas das quatros estações, Ilha de São Pedro, Igreja Santuário de São Roque e Gruta de Lourdes.

 

Conta a história que em 1865, moradores da região reuniram-se para a construção de uma capela sob a invocação de São José, liderados pelo coronel Antônio Marçal Nogueira de Barros, fundador da cidade. O nome São José foi dado em homenagem ao santo e Rio Pardo, pela cidade ser cortada pelo rio homônimo.


Como chegar
 

Para ir até São José do Rio Pardo, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) até a saída 47, a SP-330 (Rodovia Anhanguera) até a saída 86, a SP-083 (Rodovia José Roberto Magalhães Teixeira), a SP-065 (Rodovia Dom Pedro I) até a saída 133, a SP-340 (diversas denominações) até saída do km 237, Rotatória (Valter Eduardo P. Avancini) utilizar segunda saída e a SP-350 (Rodovia Eduardo Vicente Nasser) até a rotatória do km 262 e Marginal Esquerda da SP-350.

 

Mais informações: www.saojosedoriopardo.sp.gov.br