Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 18 de setembro de 2021.
 
 
09/12/2020
Cidades do mapa
Timburi

A GENEROSA NATUREZA DE TIMBURI


Distante 364 km da capital paulista, a pequena e bucólica Timburi, com 2.652 habitantes, de acordo com o IBGE/2020, entrega muito mais do que o esperado em termos de paisagens naturais e uma quantidade de cenários de grande beleza para viajante algum botar defeito. Os visitantes que chegarem a esse destino do estado de São Paulo, que pertence à Região Administrativa de Marília, irão encontrar cachoeiras, locais para acampar e para caminhadas, vôo livre, rafting, roteiros para cicloturismo, pontos de mirante como o Morro do Chapéu e do Trem, rios para a prática de pesca e esportes aquáticos e outras atrações que já chamaram até a atenção de pessoas de fora do Brasil. Timburi, a chamada “Janela do Poente”, surpreende e não é para menos.

 

Catalogada como Município de Interesse Turístico (MIT) desde fevereiro de 2019, a charmosa Timburi é uma das 13 cidades componentes da Região Turística de Angra Doce Paulista, situada na região sudoeste do estado. As demais cidades deste circuito são Bernardino de Campos, Canitar, Chavantes, Fartura, Ipaussu, Barão de Antonina, Itaporanga, Piraju, Ourinhos, Santa Cruz do Rio Pardo, Salto Grande e São Pedro do Turvo. Todas têm como característica básica o fato de serem banhadas pelas águas do rio Paranapanema e seus afluentes, fazendo fronteira com o estado do Paraná. O nome Angra Doce lembra a baía de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, devido à quantidade de enseadas e ilhas, mas, no caso paulista, é a água doce de rios que impera.
 

 

Atração bem procurada é a Cachoeira do Noratinho, 25 m de altura, e o acesso é pela Rod. Vicinal José Arthur dos Reis
 

A Natureza é, de fato, a menina dos olhos de Timburi, mas vai muito além a lista de deleites locais para o turista que busca novidades. A culinária tradicional dessa região do estado, com pratos que enchem os olhos e o apetite como a tilápia à parmegiana, ecoa com a festa que ocorre todos os meses de agosto na cidade, a Fespinga, que há mais de 50 anos reúne expositores de aguardente, além de programar shows, rodeios e cavalgadas. Os praticantes do skate downhill têm espaço muito disputado para esse esporte radical nas descidas da ladeira de mais de dois km no caminho do camping do Redondo, seguindo para norte do perímetro urbano.


O potencial turístico do MIT Timburi como destino de ecoturismo é generoso. Cachoeiras como a Palmital, que tem mais de 60 metros de altura e três quedas d’água, fornecem muitas clicadas e passeios no meio da mata para os amantes de trilhas. Outros saltos da região são a Cachoeira do Noratinho, bem como a Cachoeira Gogó da Garça, que está localizada às margens do Paranapanema, a norte da cidade, cuja cenografia forma naturalmente uma filial do paraíso para quem ali chega. Há barcos que levam visitantes a essas cachoeiras, que ficam a alguns quilômetros do camping do Redondo. Diversos outros atrativos de Timburi recebem o turista com muito gosto, mostrando que o sudoeste paulista possui riquezas incontáveis para levar de souvenir, tanto em fotos como na memória. 


Além de todas as belezas naturais, Timburi também revela um forte Turismo Religioso, com destaque para a Igreja da Fazenda Domiciana; Trata-se de uma

igreja histórica que está, totalmente, cheia de lendas. Localiza-se em ponto alto de uma colina rodeada de mata nativa, ribeirões e cachoeiras e chama atenção pela pureza de suas linhas arquitetônicas e a lembrança de contato íntimo com a natureza. Começou a ser construída no começo da década de 30, por volta de 1934, para pagamento de uma promessa feita pelo Dr. Euclides de Moura Fonseca. É um ponto obrigatório e sempre uma visita à pequena capela de Nossa Senhora. Também a Igreja Matriz Santa Cruz faz a sua parte, cuja construção ocorreu no início do século XX, em 1917, e foi conduzida pelo padre português Bento Gonçalves de Queiroz, e concluída em 1947, tornando-se  uma imponente igreja de pedra.
 

Capela de N.Sra, igreja histórica cheia de lendas, no alto de uma colina rodeada de mata nativa, ribeirões e cachoeiras
 

Conta a história que  em 24 de outubro de 1948, o povo de Timburi atingiu a sua emancipação política, o que se realizou através de um plebiscito, em dezembro de 1948 pela Assembléia Legislativa do Estado. Em 13 de março de 1949 foi realizada a primeira eleição em dois de abril neste mesmo ano data em que tomou posse o primeiro prefeito da cidade. O nome original Timbury foi dado devido à madeira que se encontrava em abundância nesta localidade.


Como chegar


Para ir até Timburi, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 241-B, a SP-255 (Rodovia João Mellão) até a saída do km 288, a SP-270 (Rodovia Raposo Tavares) até a saída do km 313, a SP-313/270 (acesso a Piraju), a SP-287 (Rodovia Thomaz Magalhães), vias urbanas de Sarutaiá e a SP-303 (Rodovia Lauro Alves Barroso).


Mais informações: www.timburi.sp.gov.br
 

 
 
 


Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite